AGUARDE
21 outubro 2016

Adriano de Souza avança, mas Gabriel Medina e Filipe Toledo são eliminados do CT de Portugal

Alejo Muniz, Italo Ferreira, Jadson Andre e Wiggolly Dantas também dão adeus ao evento; Miguel Pupo segue na briga

O quarto dia da janela de realização do CT de Portugal colocou mais uma vez os melhores surfistas do mundo na água. Depois de um dia de poucas baterias, a organização da décima etapa do Championship Tour decidiu mudar o palco do evento de Supertubos para Belgas, um pico que fica do outro lado da península de Peniche. 


Pico apresentou melhores condições de vento e de onda. (Foto: WSL)

Os confrontos restantes da segunda fase iniciaram a sexta-feira por lá e dos surfistas brasileiros que competiram nessa rodada hoje, perdemos apenas Alejo Muniz. Terminada a segunda rodada do CT de Portugal, os decisivos duelos da terceira fase foram para a água e logo na segunda bateria, o Brasil perdeu mais um soldado. O paulista Wiggolly Dantas sucumbiu diante do campeão mundial de 2012, Joel Parkinson. Na sequência, outro brasileiro foi eliminado, mas dessa vez, com muitas dúvidas que geraram bastante polêmica pra quem acompanhou o duelo. O potiguar Jadson Andre liderava a bateria e o australiano Julian Wilson precisava de um 6,40 para vencer. Nos minutos finais da bateria, o aussie conseguiu um questionável 6,47 que lhe deu a virada, eliminando o brasileiro. Na quarta bateria da terceira fase, o atual campeão do mundo Adriano de Souza passou sem dificuldades pelo caçula da elite, o norte-americano Kanoa Igarashi.


Adriano de Souza segue vivo na competição. (Foto: WSL)

Já em seguida, o paulista Caio Ibelli deu adeus ao CT de Portugal, pois foi eliminado pelo taitiano Michel Bourez, que conseguiu um 9,70 dos juízes depois de muitas batidas verticais. A expectativa era grande para o sexto embate da terceira fase, já que entraram na água o havaiano e líder do ranking John John Florence e o português convidado da etapa, Frederico Morais. John John demorou quase 15 minutos para surfar a sua primeira onda e a espera valeu a pena. Com boas rasgadas em Belgas, o havaiano entrou para a briga logo com um 8,50. Depois ampliou a sua vantagem com um 7,77 e despachou o português, avançando para a quarta rodada do evento.


Se John John chegar à final, ele já é campeão mundial por antecipação. (Foto: WSL)

Em seguida, seu principal adversário na briga pelo título de 2016, Gabriel Medina, entrou na água junto com o francês Jeremy Flores, que já tinha acabado com as chances do australiano Matt Wilkinson na segunda rodada. Medina abriu com um 7,17, mas o francês logo conseguiu a virada e assumiu a liderança da bateria até o fim. Gabriel Medina foi barrado por Jeremy e agora precisa torcer para que o havaiano não chegue à final do evento se quiser levar a disputa para a última etapa, em Pipeline, no Havaí.


Medina achou um tubo em Belgas. (Foto: WSL)

Na nona bateria, o paulista Miguel Pupo eliminou o 11 vezes campeão do mundo, Kelly Slater, mas no duelo seguinte, o novo papai da elite, Filipe Toledo, foi eliminado pelo norte-americano Conner Coffin. Em seguida, o potiguar Italo Ferreira foi eliminado pelo australiano Stuart Kennedy. No último confronto da terceira fase, o sul-africano Jordy Smith barrou o australiano Kai Otton e por enquanto ainda pode sonhar com o título mundial de 2016.

Tags:
COMPARTILHAR