AGUARDE
15 abril 2015

Arte de rua faz barulho na Colômbia

Movimento na Internet busca mudar a visão do país pelo mundo

Depois da nossa matéria Street Art em Gaza, descobrimos outro lugar que tem dado atenção para o movimento: a Colômbia. Há pouco mais de um ano, a página no Facebook “Street Art In Colombia” foi criada para difundir e compartilhar o trabalho de artistas de rua no país.

Oso Kac, en el charco, Nariño.

As pinturas, que se assemelham aos murais, não têm um tema específico. Elas, na maioria das vezes, são as “formas que os artistas encontram de ver e se comunicar com o mundo”, explica Fabián Amador Salazar, desenhista visual e dono da página virtual.

Fabián conta também que um dos variados objetivos do movimento é preservar a memória da arte de rua no país, onde tanto os artistas quanto os cidadãos colombianos podem mostrar a arte das suas ruas, dos seus bairros e das suas cidades.

A arte de rua serve para contar histórias, alimenta a livre expressão, criando de certa forma, pessoas mais livres.

Como e quando nasceu o movimento “Street Art in Colombia”?

Fabián Salazar: Nasceu há um ano e dois meses. O espaço foi criado devido à necessidade evidente de ter um site na rede, onde se possa difundir e compartilhar todo o trabalho de artistas de rua na Colômbia. Um lugar para todos e todas, onde “mostrar” seja a principal razão para criar e crescer em conjunto como sociedade e como cultura.

Qual o objetivo do movimento?

Fábian Salazar: O objetivo do movimento é servir como plataforma de exibição da arte de rua na Colômbia, que por sua vez, dá visibilidade às pessoas que se encontram atrás dessas maravilhosas intervenções. Mostrar ao mundo inteiro, através da Internet, o talento mágico que existe em algumas pessoas desse lindo país, todas as ideias e as histórias que temos para contar e encorajá-los a vir e nos visitar para ver as ruas cheias de cores e contos, cheias de vida.

E como funciona o movimento?

Fabián Salazar: Qualquer um pode enviar suas fotos para página e, assim, ser compartilhado com os devidos créditos. A organização ordena e define o cronograma de publicações, segundo o conceito e o horário. A missão principal é que tanto os artistas quanto os cidadãos em geral mostrem e deem visibilidade à arte que existe nas ruas em que elas passam, seus bairros e suas cidades.

Quantas artes de rua vocês já encontraram na Colômbia?

FS: Contabilizar aqui os “muros” é quase uma missão impossível, levando em conta o infinito auge dos últimos anos. Eu acho que, em cada cidade, não existem menos de cem intervenções artísticas nos muros. Com o número de artistas acontece o mesmo, já que seria necessário primeiro definir em que ponto alguém pode ou não pode fazer parte dessas intervenções e isso prefiro deixar para os investigadores da “estética da arte”.

O que você pensa sobre a arte de rua?

FS: A arte de rua é realmente inspiradora, ali se juntam mensagens e ideias muito úteis sobretudo para uma sociedade tão conturbada quanto a nossa. Serve como forma de cultura para todo o mundo que esteja na rua; serve para melhorar o local dos transeuntes; serve para comunicar e para nos identificarmos a nós mesmos dentro de um contexto particular; serve para contar histórias, alimenta a livre expressão, criando de certa forma, pessoas mais livres.

Tags:
COMPARTILHAR