AGUARDE
28 abril 2014

ASP ou Zosea ?

Antes que você continue a leitura desta pequena obra da literatura surfística, peço que fique de pé e bata palmas. Bata palmas para você mesmo. Querido amigo surfista e caríssima amiga surfista, meus sinceros parabéns. Graças à tal da Zosea, agora você faz parte de um esporte 100% profissional. Terminada as palmas, você deve estar se perguntando: “E eu com isso?”. Ótima pergunta. E, para sua surpresa, eu ainda não tenho resposta para ela. Para 34 raparigos do WCT, 17 raparigas do outro WCT e um punhado de cabeludos do WQS e do Big Wave Tour, a coisa pode melhorar. Fama, dinheiro e rock’n roll os aguardam. Para nós, meros mortais, não deve ter nenhuma mudança tão radical quanto um aéreo do Dane Reynolds. Os 2 primeiros eventos já mostraram isso. Fizeram lá uma bela equipe de cobertura (o “bela” fica por conta da Rosy Hodge). Mas muitos dos que estão ali já eram figurinhas carimbadas de outros carnavais. Fizeram também uma mesa redonda que conta tudo e mais um pouco. É bem bolado, como diria o Silvio Santos. E ainda fizeram uma estrutura colossal para abrigar o exército de competidores. Um verdadeiro castelo para os suseranos das ondas. Um grupo que não nos inclui, diga-se de passagem. Tirando isso, o resto continua igual. Parece até o surfe do Travis Logie: é quase sempre a mesma manobra. Eu sei, eu sei, eles também trouxeram Margaret para os homens e Fiji, Honolua e Trestles para as mulheres. Mas não queria citar isso, já que esse assunto causou muita controvérsia. Saca só: são 3 eventos para as donzelas e 1 para os moçoilos. Isso fez muita gente achar que foi uma manobra da Zosea para explorar a beleza mulheril em prol do surfe. Eu discordo. Se isso fosse verdade, Trestles não estaria nessa lista. A água lá é fria e, convenhamos, não foi usando uma roupa de borracha cobrindo o corpo que a Alana Blanchard ficou famosa, né não?

Tags:
COMPARTILHAR