AGUARDE
09 março 2017

Candidatos e previsões

Ainda é cedo, mas já fizemos algumas apostas para o circuito mundial de 2017

Sempre no início de cada temporada surgem as especulações de quem serão os candidatos ao título mundial, o estreante do ano, quem fica e quem desce e por aí vai. A evolução dos surfistas a cada ano e a chegada de caras novas, deixam as previsões ainda mais abertas e difíceis de serem cravadas, porém algumas podem ser anotadas e dadas como certas.

Quem descartaria uma briga pelo maior caneco entre John John Florence e Gabriel Medina?! E como deixar de falar do sul-africano Jordy Smith, que vem embalado de um vice-campeonato mundial. Correndo por fora, temos Filipe Toledo, Julian Wilson, Joel Parkinson e o maior nome do esporte, o norte-americano Kelly Slater.


Quem duvida do décimo segundo título mundial de Kelly Slayer? - Foto: WSL/Poullenote/Aquashot

Aos 44 anos, o onze vezes melhor do mundo já confirmou que irá participar de forma integral do circuito nesse ano de 2017, mas para sonhar com um novo título mundial, o mito precisa torcer para que etapas como Teahupoo, Fiji e Pipeline sejam realizadas em condições clássicas, porque nessas ondas, ele é um dos, senão o melhor surfista em atividade. Caso isso não aconteça, fica muito mais difícil para Slater buscar seu décimo segundo título mundial.

Quem também entra na briga desse ano é o australiano e três vezes melhor do mundo, Mick Fanning. O cirurgião do tour já anunciou que nessa temporada de 2017 irá competir de forma integral e depois de um ano sabático recheado de viagens com altas ondas, vem inspirado para seguir na busca pelo seu quarto título.

Mick Fanning já confessou que irá competir de forma integral - Foto: WSL/Cestari

Jordy Smith é outro que vem com sede de vitória. Depois de um 2016 excelente, quando terminou como vice-campeão mundial pela segunda vez na carreira, o gigante sul-africano é um dos favoritos para esse ano. Seu surfe se encaixa em praticamente todas as ondas do circuito e é um surfista que se adapta muito bem as condições. Mesmo no alto de seus um metro e oitenta e oito, Jordy surfa muito bem em ondas pequenas e também entuba com facilidade. Como esquecer da sua vitória em Trestles, em 2016 e a conquista nas majestosas direitas de Sunset Beach?! Jordy Smith é sim um franco candidato ao título de 2017.

Jordy Smith vem embalado de um vice-campenato mundial - Foto: WSL/Poullenot

Entre os brasileiros, Gabriel Medina e Filipe Toledo largam como favoritos. Medina por ser um surfista completo, que surfa bem em qualquer tipo de condição, principalmente para esquerda. É só dar uma olhada em seu histórico nos eventos de Fiji e Teahupoo para ter a prova. Fora isso, tem um surfe de costas para onda letal, com ataques verticais e um jogo de aéreo impressionante. Assim como Medina, Filipinho é um mestre nas decolagens, porém fica devendo nas ondas de consequência e no surfe de costas para onda, onde precisa evoluir, principalmente na hora de entubar e soltar as batidas.

Filipe Toledo é um dos candidatos para o título de 2017 - Foto: WSL/Poullenot

E como não falar de John John Florence. O atual campeão do mundo é apontado como favorito por muita gente e não é a toa. O havaiano é uma aberração quando o assunto são ondas tubulares, independente se for pra direita ou pra esquerda. Fora isso, tem um surfe de linha impecável e um jogo de manobras de borda de dar inveja em qualquer top do circuito. Talvez seu ponto fraco sejam as ondas pequenas e a competitividade, mas nada que o tempo e algumas dicas não resolvam.

John John Florence é o defensor do título mundial e promete dar trabalho - Foto: WSL/Poullenot

Correndo por fora, temos nomes de peso como Julian Wilson, Kolohe Andino e Adriano de Souza. O trio sempre dá trabalho e nesse ano provavelmente a história não será diferente. Já na briga dos estreantes, talvez o favorito seja o havaiano Ezekiel Lau. Como uma vasta bagagem em ondas perfeitas, o local do north shore pode ir bem principalmente nas etapas de ondas tubulares e nos point breaks de direitas. Não podemos descartar também o brasileiro Ian Gouveia e o australiano Ethan Ewing, que conquistou a vaga logo em sua primeira temporada no Qualify Series.

Esse ano de 2017 promete e a torcida é para que as ondas colaborem, porque com isso o show será garantido. E se você também quiser fazer as suas apostas, entre no grupo do Fantasy do Canal Woohoo (senha é Woohoo) e monte seu time!

Tags:
COMPARTILHAR