AGUARDE
15 agosto 2017

Chloé Calmon: É bom estar na liderança, mas sei que tenho muito trabalho pela frente

Chloé Calmon está passando pela melhor fase da carreira de longboarder profissional. Após oito anos competindo entre as melhores do mundo, a carioca de 22 anos experimentou o gosto da vitória numa etapa do LT (Longboard Tour) e lidera o ranking mundial. Diferente dos últimos seis anos, em que o título mundial foi definido numa etapa única,  nessa temporada a campeã mundial será conhecida após segunda e decisiva prova, confirmada para acontecer entre os dias 23 de novembro e 03 de dezembro em Taiwan. Chloé está confiante e mais estigada do que nunca, mas tem consciência de que tem muito trabalho pela frente. 

 

Liderança do ranking mundial

É uma mistura de sentimentos… Ao mesmo tempo que eu gosto de pensar que eu sou a número 1 do ranking mundial, porque é uma sensação muito boa de dever cumprido, eu tento não pensar muito nisso e saber que ainda tem muito trabalho a ser feito pela frente. O resultado na Papua Nova Guiné não alterou a forma como eu me dedico todos os dias e como eu entro numa bateria. Acabou um campeonato eu encaro que o outro começa do zero, não importa resultado anterior, importa é aquele momento ali. É muito importante você não se deixar levar por nenhum resultado. 

 

Cena atual do longboard no Brasil

Já tem alguns anos que a gente não tem nenhum campeonato no Brasil e não temos uma campeã brasileira. O longboard sempre foi um pouco menor comparado a pranchinha, mas ao mesmo tempo que as competições estão escassas eu vejo um número muito grande de mulheres surfando de longboard no Rio de Janeiro e no Brasil.

 

Eventos confirmados

Esse ano finalmente vai ter um circuito de longboard feminino. A primeira etapa está confirmada para acontecer em setembro no campeonato brasileiro de surfe feminino, que a Suelen Naraisa e a família dela já fazem, e depois em outubro vai ter a etapa final no Rio de Janeiro. Eu espero que esses eventos chame atenção para outros organizadores e patrocinadores para que isso se repita e só cresça nos próximos anos. 

 

Surfe no Brasil 

Acho que o Brasil está tão em alta no surfe, tem os meninos no CT e a Silvana Lima na elite feminina, e eu acho que tem tudo para gente focar na nova geração, que seria o Brasil nos próximos anos. Acho que isso é um grande chamado para a gente acordar, olhar para a nova geração, fazer um circuito de base legal para termos um campeão olímpico daqui a quatro anos. 

 

 

 

Tags:
COMPARTILHAR