AGUARDE
06 abril 2015

Cluster chega na Cidade Maravilhosa

Depois de passar por São Paulo, Dane Reynolds, Craig Anderson e Mikey Wright desembarcaram no Rio de Janeiro para o lançamento de Cluster, última produção de Kai Neville

Estrelas do primeiro escalão do freesurf mundial, Craig Anderson, Dane Reynolds e Mikey Wright estiveram no Brasil na semana passada para o lançamento de Cluster, última produção do aclamado diretor de filmes de surfe, Kai Neville.

Após a sessão para convidados em São Paulo, a equipe estava programada para pegar um voo para o Rio de Janeiro no dia seguinte, mas Dane Reynolds se encantou com a van e convenceu todo mundo a encarar os mais de 400 quilômetros, que divide as duas cidades, de carro.

No caminho as sessões de surfe foram animando a galera, que parava toda vez que via alguma valinha funcionando. Instalados no Rio de Janeiro, Craig, Dane e Mikey ainda pegaram ondas em São Conrado e na Joatinga.

A festa restrita para convidados na cidade maravilhosa aconteceu na noite da quinta-feira, 2 de abril, no prédio de Lenny Niemeyer, estilista que realiza eventos bastante cobiçados pela turma fashion. O espaço na Lagoa Rodrigo de Freitas concentrou a galera do surfe e também pessoas ligadas a moda.

As estrelas principais do evento: Craig Anderson, Dane Reynols, e Mikey Wright, só chegaram na hora que os convidados estavam devidamente acomodados no sótão, onde foi instalado um projetor para a exibição de Cluster.

Depois da exibição do filme, todos voltaram ao primeiro andar e curtiram a noite ao som da banda Terno Rei.Antes de falar de Cluster, vale a pena conhecer um pouco sobre o diretor, Kai Neville. O australiano caiu nas graças do cinema-surfe em 2009 com o aclamado Modern Collective. Sempre cercado de surfistas com excelente qualidade, Kai reune em suas produções performances de tirar o fôlego e uma identidade estética, que é vista na edição, na trilha sonora e na finalização.

Cluster segue esta fórmula com boas atuações de Dane Reynolds, Jack Freestone, Creed MacTaggart e Chippa Wilson entre outros. Mas após 59 minutos, que foram divididos para cada surfista, fica a sensação de que Kai Neville esqueceu de nomes que estão no auge.

Todas as sessões do vídeo são boas, mas algumas ficaram claramente ultrapassadas pelo nível que o surfe competição atingiu. Atualmente, os eventos da elite mundial possuem um surfe tão moderno ou até mais progressivo que Cluster com Gabriel Medina, John John Florence, Filipe Toledo, Julian Wilson e companhia. A favor da turma do CT temos a emoção dos eventos e o fato de estarem ao vivo. Contra, não temos a estética de Kai Neville. Mas será que só isso vai sustentar o cinema-surfe no modelo atual daqui para frente?

Tags:
COMPARTILHAR