AGUARDE
08 março 2015

Dia da mulher, a luta continua

Data marca a luta por direitos iguais e liberdade de expressão feminina

Há exatamente 40 anos atrás a ONU definiu o dia de hoje como o dia Internacional da Mulher, a data marca a luta das mulheres por direitos iguais, por respeito, por liberdade de expressão, por poder ser mulher sem restrições e qualquer tipo de boicote.

Quem é mulher sabe que ocupar essa posição não é fácil, nossas dificuldades estão em toda parte e vão de coisas importantes como ganhar menos que um homem que ocupa o mesmo cargo que você, de não ser promovida no trabalho porque o gerente escolheu um homem para ocupar a vaga, apesar de você ser mais competente, até mesmo sofrer assédio sexual do seu chefe que implicitamente te chama para sair e se isso acontecer você sabe que será recompensada.

Mas nossas dificuldades não são somente enfrentadas no âmbito profissional. Quem é mulher sabe que enfrentamos situações constrangedoras fazendo coisas bastante simples. Como andar na rua e ser assediada diariamente por homens que falam cantadas constrangedoras, pelo mecânico que te rouba ao concluir que por você ser mulher você não entende do assunto, na praia quando somos tolhidas de fazer topless, porque caso você faça, poderá ser presa por “atentado ao pudor” parece até piada, mas não é.
A luta para mudar essa realidade que é existente e explícita ainda no século XXI é combatida diariamente por mulheres que se posicionam e movem legiões para mudar uma causa. Maria da Penha é uma dessas mulheres, depois que seu marido tentou matá-la duas vezes ela lutou contra o estado para que ele fosse condenado por seus crimes, não somente conseguiu o feito, como a partir disso uma nova lei foi criada para punir homens que agridem fisicamente ou psicologicamente sua mulher ou esposa.

Assim como Maria da Penha, outras mulheres de pulso defendem seus ideais e suas causas. Ana Paula Nogueira líder do movimento Toplessinrio é uma delas, a jornalista é um dos principais nomes da atualidade quando o assunto é liberdade de expressão feminina. Ana ficou conhecida pela imprensa internacional quando tirou a parte de cima do biquíni em plena praia de Ipanema no Rio de Janeiro, levantando a bandeira da descriminalização do nu e da quebra de tabus ligados ao sexo.

Depois do episódio em 2013 ela assumiu a liderança do movimento ToplesseinRio e trouxe consigo uma massa de mulheres que assim com ela sentiam a necessidade de se expressarem através do seu corpo. O movimento virou sucesso na cidade maravilhosa e ganhou até concurso para premiar a musa do Topless – O júris oficia escolheu a cadeirante Natache Iamayá e o público a bailarina Karla Klemente.
O movimento ToplessinRio, a lei Maria da Penha são exemplos de quanto as mulheres podem e devem defender suas próprias causas, afinal a sua aflição e inconformidade pode ser a de outras mulheres.

A luta pelos direitos feministas, pelas igualdades, pela não violência, pela liberdade de expressão, por poder ser mulher e mesmo assim ser livre, é uma causa diária que deve ser lembrada e defendida por todos sempre.

Feliz dia da mulher!

Tags:
COMPARTILHAR