AGUARDE
27 abril 2016

Dicas de turismo para o Rio Pro

Confira dicas de lazer para os dias de descanso da quarta etapa do circuito da elite mundial de surfe

A partir do dia 10 de maio de 2016, o Rio de Janeiro se torna palco da quarta etapa do circuito da elite mundial de surfe.

No ano passado, este evento quebrou todos os recordes de público da World Surf League, com mais de 100 mil pessoas lotando a faixa de areia nos arredores do palanque que é montado no Postinho, na praia da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, durante uma semana. Só no dia da vitória do Filipe Toledo eram 40 mil fãs enlouquecidos com os melhores surfistas do planeta.

O Rio Pro 2015 foi o maior recorde da Wirld Surf League de público. Foto: WSL / Salem

O Rio Pro 2015 foi o maior recorde da World Surf League de público. Foto: WSL / Salem

 

Diante destes números, a expectativa para este ano não poderia ser melhor. Como muita gente que acompanha o evento vem de fora do Rio, vamos ver algumas dicas turísticas para essas pessoas não ficarem concentradas somente no eixo: Pão de Açucar, Cristo Redentor, Lagoa Rodrigo de Freitas e Jardim Botânico.


    • Trilha da Pedra Bonita:

Para quem quer fazer um exercício e curtir um contato com a natureza com direito a uma vista deslumbrante da cidade maravilhosa, inclusive da estrutura do campeonato, a pedida é a Trilha da Pedra Bonita.

Para chegar na trilha, que é considerada de nível fácil, vá até a orla de São Conrado e suba a Estrada das Canoas. Seguindo pela mesma estrada que dá acesso à rampa de voo-livre, do lado direito, há uma entrada com sinalização indicando o início da trilha.

Da Pedra Bonita é possível ver a zona oeste e a zona sul. Foto: Reprodução internet

Da Pedra Bonita é possível ver a zona oeste e a zona sul. Foto: Reprodução internet

 

Apesar de ter uma guarita, vale a pena subir a trilha em grupo. Foto: Reprodução Internet

Apesar de ter uma guarita, vale a pena subir a trilha em grupo. Foto: Reprodução Internet

 


    • Cidade das artes:

Projetada pelo arquiteto francês Christian de Portzamparc, que fizeram o Cité de La Musique, em Paris, a Cidade das Artes se encontra bem no coração da Barra da Tijuca, mais precisamente no espaço chamado de Cebolão, perto do terminal de ônibus da Alvorada.

Com 97.000 metros quadrados de área construída, a Cidade das Artes exibirá durante a janela de espera do evento entre outras atividades a peça Dorotéia, de Nelson Rodrigues, que será estrelada por Letícia Spiller e Rosamaria Murtinho.

A peça Dorotéia fica em cartaz entre os dias 7 e 29 de maio. Foto: Divulgação

A peça Dorotéia fica em cartaz entre os dias 7 e 29 de maio. Foto: Divulgação

Já no domingo, 15 de maio, será exibido o documentário Exit Through the gift shop, que é uma crítica ao mercado das artes diante da ascensão meteórica do artista de rua francês Mr. Brainwash, que é de acordo com o filme mais bem relacionado do que talentoso.


    • Void:

Para quem quer curtir como os cariocas a região do Jardim Oceânico, que é esse trecho da Barra da Tijuca onde está montado o palanque oficial do evento, basta dar uma caminhada no final de tarde pela Rua Olegário Maciel. Porém se você não tem muito tempo e quer ser certeiro, a dica do Woohoo é a Void, uma mistura de loja, bar e conveniência, que costuma ficar lotada de gente descolada e cheia de estilo.

 


    • Para comer:

O Jardim Oceânico é um burburinho de bons lugares para comer e com a presença dos melhores surfistas do mundo por ali, as chances de você se sentar ao lado de um Kelly Slater ou Kolohe Andino são grandes.

Para os fãs de uma comida natural, pode acreditar no .Org, comandado pela chef Tati Lund. Cheio de estilo e comidas deliciosas, esse é o point dos surfistas para o almoço.

Caso seu surfista predileto não esteja almoçando no .Org, é só ir até o Pe’ahi, um japonês que fica em frente ao campeonato ao lado da loja Extreme Club, que com certeza algum dos top 32 estará por lá se deliciando com peixes frescos e ambiente agradável.

No caso do Pe’ahi vale ficar por dentor da programação deles, que de vez enquando roalm uns lançamentos e sessões de autógrafos por lá. Foto: Reprodução Internet

No caso do Pe’ahi vale ficar por dentro da programação deles, já que lá costuma rolar lançamentos e sessões de autógrafos por lá. Foto: Reprodução Internet

 
Já que o palanque alternativo vai ficar mesmo em Grumari, o Rio Pro se torna uma excelente oportunidade de explorar esta região, que é pouco visitada inclusive por muitos cariocas.


    • Cachoeiras Pedra Branca:

A questão da segurança no Rio de Janeiro não é segredo para ninguém, por isso ter uma cachoeira dentro de um parque pode ser, pelo menos na teoria, mais convidativo. O parque estadual da Pedra Branca possui cerca de 12.500 hectares e é coberto por vegetação típica da Mata Atlântica.

Nesta área existem algumas cachoeiras, entre elas a Camorim que possui um acesso fácil sem subidas ou descidas íngremes.


    • Praia do Secreto:

Quando se pensa no verão do Rio de Janeiro, logo imaginamos praias lotadas. Mas mesmo nos finais de semana de férias quando os termômetros atingem os 40º é possível curtir praias mais reservadas como a praia do Secreto, que fica protegida por paredões rochosos.

São apenas 12 metros de extensão com 5 de largura e uma piscina natural que precisam ser preservados não só pelos cariocas, mas também pelos visitantes.

Localizada entre a praia da Macumba e a Prainha, o Secreto é um lugar que os moradores não gostam muito de divulgar.

Para chegar na praia do Secreto é preciso descer um caminho nas pedras. Foto: Reprodução Internet

Para chegar na praia do Secreto é preciso descer um caminho nas pedras. Foto: Reprodução Internet

 


  • Polo Gastronômico de Guaratiba:

Mas nem só de visual e água vivem os arredores de Grumari. Para quem gosta de uma boa comida, o investimento (que não é barato) nos principais restaurantes do Polo Gastronômico de Guaratiba vale a pena.

No estilo comida caseira, bem servida e com excelente tempero as tias - Palmira, Joana e Penha, além dos renomados Bira e Tropicana fizeram fama até na zona sul da cidade maravilhosa. A dica que nós damos para quem vai curtir alguns desses restaurantes é curtir o final de tarde, já que a vista de muitos deles é tão interessante quanto a comida é gostosa.

Os preços algumas vezes são altos, mas os pratos costumam ser bem servidos.

Os preços algumas vezes são altos, mas os pratos costumam ser bem servidos.

 


    • Sítio Burle Marx:

Para quem gosta de paisagismo, a visita ao Sítio Burle Marx não pode ficar de fora. Em 807 mil metros quadrados é possível ver diferentes espécies de plantas e ver alguns trabalhos do paisagista Roberto Burle Marx, que viveu nesta região de 1973 até 1994.

 

As visitas são guiadas e é preciso marcar com antecedência.

 

Estrada Roberto Burle Marx 2.019 - antiga Estrada da Barra de Guaratiba, Barra de Guaratiba, Rio de Janeiro - RJ - Telefone: 2410-1412

O sítio Burle Marx é muito usado como cenário de diversas gravações. Foto: Sítio Burle Marx

O sítio Burle Marx é muito usado como cenário de diversas gravações. Foto: Sítio Burle Marx

 

Tags:
COMPARTILHAR