AGUARDE
20 janeiro 2017

Dois anos sem Ricardinho dos Santos

O nosso anjo da Guarda será lembrado para sempre

Foi no dia 20 de janeiro de 2015 que a comunidade do surfe recebeu uma das notícias mais tristes. Depois de ser baleado covardemente pelo policial militar Luis Paulo Mota Brentano, o surfista catarinense Ricardo dos Santos, o Ricardinho, não resistiu e acabou morrendo no Hospital Regional de São José, em Palhoça, Santa Catarina. Dois anos se passaram e a sua figura ainda é lembrada por amigos e familiares.

 


Ricardinho dos Santos era especialista em ondas tubulares.

Conhecido por sua habilidade em ondas pesadas e tubulares, Ricardinho tinha uma relação muito próxima com os canudos de Teahupoo, no Taiti. Parecia sua segunda casa. Nos anos de 2011 e 2012, ele venceu a triagem e conquistou uma vaga na etapa do CT de lá, representando o Brasil até as quartas de final na prova de 2012.

 

 

Ex-PM é condenado a 22 anos de prisão por morte de Ricardo dos Santos

Foi nessa época que Ricardinho havia reclamado publicamente da violência na Guarda do Embaú, sua terra natal. A mesma violência que lhe tirou a vida. Quase dois anos depois da sua morte, finalmente a justiça foi feita. O agora ex-policial militar foi à júri popular no dia 15 de dezembro de 2016 e o resultado saiu só no dia seguinte. Luis Paulo Mota Brentano, acusado de matar Ricardinho, foi condenado a 22 anos de prisão em regime inicialmente fechado, por homicídio qualificado por motivo fútil, perigo comum e recurso que dificultou a defesa da vítima. Sabemos que nada vai trazer o nosso Ricardinho de volta, pois a saudade permanece e ele, lá de cima, continua sendo o nosso Anjo da Guarda!

 

Reveja a participação de Ricardinho no Cravando a Borda durante o CT do Brasil em 2014:

 

 

 

Tags:
COMPARTILHAR