AGUARDE
29 maio 2015

Dudu Azevedo não para

No ar em Babilônia e lançando o longa Qualquer Gato Vira Lata 2, o ator fala sobre a importância da produtividade e sua relação com o surfe

A simpatia e alto astral de Dudu Azevedo refletem nos personagens que ele interpreta. Atualmente, o carioca de 36 anos integra o elenco da novela Babilônia, está lançando o filme Qualquer Gato Vira Lata 2 e pretende rodar mais dois longas até o final do ano. Paralelamente à carreira de ator, ele se dedica a música e quando tem tempo aproveita para pegar umas ondas. Haja fôlego!

Dudu, Qualquer Gato Vira Lata 2 estreia no próximo dia 04/06. No primeiro filme o Marcelo, seu personagem, perdeu a namorada para o Conrado, vivido por Malvino Salvador, e agora ele vê uma oportunidade de reconquistá-la. Conta pra gente como isso acontece e quais são as novas aventuras que ele vai viver nesse longa.

Tem uma passagem de tempo entre o primeiro e o segundo filme. A Tati e o Conrado estão apaixonados, mas diante da resposta dele ao pedido de casamento, durante uma viagem pro México, uma confusão se forma e o Marcelo vê nisso a oportunidade de reconquistar a mulher perdida. Ele decide ir para Cancún atrás dela e vai usar as armas que tem. A história se desenrola dessa forma, é uma comédia super divertida e eu acho que cabem muitos ‘Qualquer Gato Vira Lata’ pela frente.

Além de ator, você é músico. Quais são seus projetos profissionais para esse ano?

Eu continuo tocando porque eu sou movido a música. Em casa eu toco o dia inteiro, a bateria já fica montada, o violão Eu não estou com nenhum projeto em andamento no momento como músico. Agora é Babilônia no ar, lançando Qualquer Gato Eu estou começando a rodar um filme chamado ’Desejos Modernos’ e depois que acabar esse, eu tenho outro longa até o final do ano pra rodar.

Tocando com Donavon Frankenreiter no Endless Summer

Como você faz para conciliar tudo isso?

Eu acho que o mais importante nessa altura do campeonato, uma coisa que eu prezo muito, é a produtividade. Eu estou sempre fazendo coisas e o meu trabalho me realiza muito, isso é o mais importante. A música é uma asa, a dramaturgia é outra asa e o importante é manter o equilíbrio. É assim que eu toco a minha vida, está tudo certo.

A música é uma asa, a dramaturgia é outra asa e o importante é manter o equilíbrio. É assim que eu toco a minha vida

Qual é a sua relação com o surfe?

Eu surfo um décimo do que eu gostaria. O surfe é um esporte que eu amo, acompanho o surfe da maneira que dá e sempre que eu tenho um tempinho eu tô dentro d’água. Muito mais pra relaxar do que pela adrenalina, porque mar grande não é comigo não (risos).

Tags:
COMPARTILHAR