AGUARDE
07 novembro 2017

Elite mundial de surfe feminina já sabe quem são as caras novas para 2018

Silvana Lima garante sua vaga na elite pela divisão de acesso.

A lista oficial das seis vagas do QS feminino para a elite do surfe mundial 2018 só será definida após a etapa do CT de Maui, mas mesmo sem esse resultado, algumas competidoras já podem comemorar a reclassificação para o tour de elite do ano que vem. São elas Johanne Defay, Tatiana Weston-Webb, Silvana Lima, Bronte Macaulay e Coco Ho.

As surfistas que terminaram a temporada entre a primeira e a quinta colocação, estão numa situação delicada no ranking do CT e por isso, podem precisar da divisão de acesso. Ocupando a primeira colocação no QS, a francesa Johanne Defay só competiu quatro provas do Qualifying Series e mesmo assim alcançou 17.200 pontos.

Mesmo sem vencer nenhum evento da segunda divisão nesse ano, Tatiana Weston-Webb garatiu a segunda posição graças ao vice em New South Wales, ao terceiro lugar conquistado na California e a mais três quintas posições.

A brasileira Silvana Lima, que passou momentos de tensão em relação a sua permanência entre as melhores do mundo, chegou a ocupar a primeira posição do ranking do QS, mas agora é a terceira da lista. Com a sua reclassificação garantida, Silvana conseguiu respirar aliviada e reencontrou a vitória na etapa do CT de Trestles.

Estreante na elite em 2015, a australiana Bronte Macaulay ainda não conseguiu mostrar o potencial dela contra as melhores surfistas do mundo, mas mesmo assim segue tentando em 2018.

Vencedora das provas do QS da França e da Espanha, Coco Ho é a quinta colocada no ranking do QS com 14 mil e 700 pontos.

Atrás da havaiana está Sage Erickson. A americana, que precisou da divisão de acesso para se manter entre as melhores do mundo de 2012 até 2016, dessa vez está tendo uma temporada inspiradora no CT e pelo visto não vai precisar dessa vaga do QS para se reclassificar.

 Apesar de estar fora da zona de classificação, a americana Caroline Marks está confirmada entre as melhores do mundo no ano que vem. Única estreante da temporada, Caroline garante pelo menos o troféu de rookie do ano. Outra competidora que está fora da zona de classificação, mas confirmada no CT 2018 é a neozelandesa Paige Hared. A Kiwi, que ficou três anos tentando voltar a elite, sofreu e conseguiu a vaga no último minuto. Dependendo de um bom resultado em Birubi, Paige que fiocu seis anos entre as melhores do mundo chegou nas quartas e pôde comemorar seu retorno ao CT.

Tags:
COMPARTILHAR