AGUARDE
10 maio 2014

Entradas e bandeiras

David, Golias, Kelly e o momento do Travis

O jeito inteligente para manter o povo passivo e obediente é, estritamente, limitar o espectro de opinião aceitável, mas permitir muito vigorosamente dentro
deste espectro, até mesmo encorajar a crítica moral e opinião dissidente.

Noam Chomsky

Não há evento no Circuito mundial tão criticado quanto o nosso.
Numa rapida passagem de olhos por meia dúzia de coberturas da etapa carioca, apenas num site, The Inertia, que faz uma das mais assépticas que conheço, encontramos as seguintes pérolas.

Oh Rio, tanta festa! Carnaval!  As vezes dá onda, mas é como aquele cara suado, camisa colada no corpo as 2 da manhã...

Alexander Haro - Editor

Na outra página, Jed Smith, um dos maiores onanistas especializados que atuam nesse pequeno mundinho do surfe profissional, vai um pouco mais longe na falta de conhecimento e preconceito.

Será que o atual numero um, Gabriel Medina, pode quebrar a urucubaca do título mundial ?

E como eles pularam, tipo, 15 anos de estágios evolucionários no surfe ?

Parece que foi ontem que Neco Padaratz arrebentava os tímpanos do WCT com rasgadas alimentadas por esteroides.

Jed Smith

Dave Duffin (não faço a mais pálida idéia de quem seja, o Inertia é famoso por publicar qualquer coisa, sem muito critério) nem percebe o quanto carrega nos estereótipos pêro mero fato de nem conseguir expressar uma ideia adequadamente.

Vejam só.

Conhecido pela cultura de praia, enorme público, pequenos biquinis, e por ter as piores ondas do circuito, Rio é a quarta parada do circuito mundial, e as ondas não estão espetaculares

Dave Duffin

Isso tudo foi escrito antes desse sábado nublado e chuvoso que tivemos no Rio Pro.

Imaginem o que passa na cabeça desses cavalheiros depois de um dia como hoje...

David do Carmo causou a maior baixa do circuito em 2014.
Nem foi Fanning que ficou perdido na bateria e nem eram as ondas assim tão desprezíveis, David assumiu sua lenda pessoal (como diria Paulo Coelho, nosso Sean Doherty) e simplesmente acertou a pedra bem no meio dos olhos do Golias.
Adeus Fanning, nos vemos em 2015.
Mineiro, mesmo ainda contundido, ganhou sem muitos problemas do franco atirador Glen Hall.
Mas se tem alguém que enche a praia e faz chover, esse alguém é o adorável Careca, Slater - quem mais ?
Slater ainda continua parecendo fora de sintonia com o mar (isso pode mesmo ser possível ?) e com seu quiver.
Em cada bateria ele escolhe uma prancha diferente.
Se na primeira foi uma com aspecto de velha, contra Peterson Crisanto Slater surfou com uma dessas pranchas branquinhas que parecem recém saídas de uma loja.
O homem mais feliz da praia hoje era Travis Logie.
Bateu Owen Wright e ainda recebeu um inusitado carinho do fã.
Dessas coisas, que só vemos no Rio de Janeiro, ninguém fala...

 

Tags:
COMPARTILHAR