AGUARDE
30 janeiro 2019

Esportes de baixo impacto colocam os ossos em risco?

Estudo realizado na Noruega aponta que atividades de alto impacto ajudam a fortalecer os ossos

Na esperança de esclarecer ainda mais a relançar entre esportes e ossos, a escola Norueguesa de Ciência do Esporte e o Centro de Treinamento Olímpico da Noruega, localizados em Oslo, realizaram um estudo voltado para os ossos de ciclistas e de corredores profissionais.

 

Nessa pesquisa foram analisados 21 corredores e 19 ciclistas, da modalidade estrada, de ambos o os sexos e com idade média de 20 anos. Os recrutados possuíam alguns elementos em comum, muitos anos de prática da atividade e ingestão de complemento de cálcio.

 

Estudo aponta que corredores desenvolvem ossos mais fortes. Foto: PxHere

 

No exame de densidade óssea ficou comprovado que apesar de treinarem muito mais horas por ano, uma média de 400 horas, e se dedicarem mais aos exercícios com peso, os ciclistas possuíam ossos mais finos do que os corredores. Desse grupo da bike, mais da metade dos recrutados foram diagnosticados com baixa densidade mineral óssea em alguma parte do esqueleto.

O estudo foi publicado no BMJ Open Sport & Exercise Medicine. Foto: Pixnio

 

Esse estudo acendeu o sinal amarelo para alguns pesquisadores, que a partir desse estudo devem intensificar as analises.

O Woohoo lembra que a ingestão de qualquer complemento, assim como a prática de atividades físicas, devem sempre ser acompanhadas de perto por médicos especialistas.

A divulgação dessa pesquisa foi abordada no Flash de informações do Woohoo, que foi exibido no dia 30 de janeiro. Veja as demais notícias que fizeram parte desse giro pelas notícias.

 

Imagens de capa: Pexels
Tags:
COMPARTILHAR