AGUARDE
14 março 2015

Filipe Toledo é o campeão do WCT da Gold Coast

O garoto de Ubatuba fechou a sua participação no primeiro evento do ano com uma nota 10!

Termina a primeira etapa do circuito mundial de surfe de 2015 e o Brasil continua liderando o ranking da elite, agora pelas mãos, na verdade, pelos pés, do novo fenômeno mundial, Filipe Toledo.

Gabriel Medina terminou 2014 como campeão mundial e, com essa vitória na primeira etapa, Filipe Toledo começou 2015 como líder do circuito. Isso é histórico e agora feitos históricos começam a aparecer com mais frequência. Começamos a quebrar barreiras com a geração Fábio Gouveia / Flávio Padaratz e nunca mais paramos. A diferença é que agora acelerou, e parece que essa nova velocidade e intensidade de barreiras quebradas não vai diminuir. Quando não é o Medina, é o Filipinho. Quando não é o Filipinho é o Mineirinho ou o Miguel Pupo. E por aí vai.Festa brasileira em Snapper Rocks de novo! A Gold Coast da Austrália, palco da primeira etapa do WCT 2015, parecia o meio da Barra, no Rio, ou a Praia da Vila, em Imbituba. Os próprios locutores falaram durante a transmissão: “Parece que tem tantos brasileiros na praia quanto australianos.”

Filipinho comandou a festa brasileira em Snapper Rocks. Foto: WSL

Assim como os organizadores apontavam, as ondas rolaram com cerca de 1 metro e séries demoradas, mas essas condições se transformaram em gasolina na fogueira para o incrível Filipe Toledo, que venceu o evento e desbancou um australiano em casa.A primeira etapa de 2015 foi mesmo incrível para o Brasil, mas Filipinho construiu sua vitória devagar. Apesar de ter ficado na terceira colocação logo na primeira rodada, o garoto de Ubatuba não se deixou abater e continuou seu caminho rumo à final. A partir da segunda fase, o que vimos foi uma chuva de médias altas e um Filipe Toledo iluminado. Ao “voar” sobre as ondas, aproveitar o tamanho do mar e, principalmente, variar como ninguém as suas manobras, ele venceu todas as suas baterias dando show.

Além da emocionante vitória de Filipe, por conta do altíssimo nível de performance apresentado, outro fator tornou a etapa da Gold Coast histórica para os brasileiros. Ela repetiu o que já tinha acontecido em Huntigton Beach, no ano de 1999, e dos quatro semifinalistas, três eram brasileiros. Naquele ano, o feito inédito na etapa americana foi protagonizado por Fábio Gouveia, Victor Ribas e Neco Padaratz.Nas semi-finais, Miguel Pupo e Julian Wilson fizeram o primeiro encontro, enquanto Filipe Toledo e Adriano de Souza se enfrentaram na sequência. O paulista de São Sebastião, que fazia sua primeira semifinal no WCT, quase eliminou o aussie. Precisando de um 8,89 para virar o jogo, Miguel passou perto com uma nota 8,23 em sua última onda. Já na bateria entre Adriano e Filipe, o virtual campeão estava muito focado e não foi ameaçado por seu compatriota. O “monstro”, como foi chamado por muita gente no campeonato, conseguiu um 7,83, depois um 9,40, para acabar com as chances de Mineirinho.

Na decisão, enquanto Filipe, que fazia sua primeira final na elite do surfe mundial, apostava em todas as ondas que apareciam, Julian foi mais seletivo e só surfou a primeira onda após 10 minutos do início da bateria, quando já estava precisando de uma combinação de notas para reverter o resultado. Logo depois, Filipe piorou a situação do australiano com um 9,60, mas Julian conseguiu sair da combinação com um 9,10. No finalzinho, a consagração definitiva do inspirado Filipe aconteceu com uma nota 10, graças a uma sequência poderosa de rasgadas, batidas e chutadas de rabeta. Além do tão desejado troféu, Filipinho recebeu a emblemática quantia de cem mil dólares.

Filipe Toledo "voou" na primeira etapa do WCT 2015. Foto: WSL

Um fato curioso: nos últimos dez anos, metade dos vencedores dessa etapa da Gold Coast conseguiu o título mundial no fim da temporada. Em 2014, Gabriel Medina foi o primeiro brasileiro a vencer esta prova e, no final do ano, conquistar o título mundial inédito para o Brasil.

Por falar em Medina, sua participação nessa etapa vinha carregada de muita expectativa - justamente pelo fato de ser o defensor do título e o atual Campeão Mundial. Mas, depois da sua eliminação na terceira rodada e da vitória de Filipe Toledo, ficou evidente que o Brasil está muito bem representado na elite do surfe mundial e que Medina não é o único fenômeno.Nosso enviado especial à Austrália, Bruno Lemos, conversou com Filipinho logo depois da sua grande conquista.Você acha que no seu sonho mais incrível, você sonhou em ser carregado da forma que aconteceu aqui?

Eu acho que não. Foi uma das melhores vitórias da minha vida sem dúvida nenhuma, a minha primeira vitória no WCT. E terminar a bateria daquele jeito, com uma nota 10, e com o meu pai e meus amigos todos aqui, esse crowd brasileiro Todo mundo dando o suporte que eu preciso.

O que você acha que foi o principal para a sua vitória aqui?

Foi o meu treinamento nos últimos dois, três meses. Eu treinei muito, só Deus e a minha família sabem o quanto eu treinei e de quanta coisa eu abri mão para que isso acontecesse. E claro, muito contato com Deus: Ele sempre me ajudando, me apoiando, e eu, como sempre, só agradecendo.A próxima etapa do WCT 2015 acontece em Bells Beach, em Victoria, também na Austrália, e a janela será aberta no dia 1º de abril.

Tags:
COMPARTILHAR