AGUARDE
18 maio 2016

Gabriel Medina tira mais um 10 no Rio Pro

Em dia intenso no Postinho, o Brasil sofre baixas na uinta fase

A ondulação de sudoeste que se aproximou do Rio de Janeiro na terça-feira, 17 de maio, ganhou força nesta quarta-feira e o Rio Pro masculino voltou para a água num mar pesado com ondas de cerca de 2 metros, mas ainda mexidas.
Apesar das condições pesadas, Gabriel Medina conseguiu encontrar uma rampa para decolagens na quarta bateria da quarta rodada e depois de mandar um aéreo rodando de back side, o campeão mundial de 2014 conseguiu conquistar, pela segunda vez neste evento, a nota 10.

É legal surfar numa bateria com muitas ondas e foi demais tirar aquela nota 10

Com 18,10 pontos de somatório Gabriel Medina se classificou direto para as quartas de final assim como o atual campeão mundial Adriano de Souza, o havaiano Dusty Payne e Miguel Pupo.
Apontado como azarão no embate contra Filipe Toledo e John John Florence, Dusty Payne não quis saber escolheu as ondas mais pesadas e mandou a dupla para a quinta fase, que é uma segunda repescagem.
O havaiano venceu o Filipe Toledo e o John John Florence na quarta fase. Foto: Daniel Smorigo / WSL

O havaiano venceu o Filipe Toledo e o John John Florence na quarta fase. Foto: Daniel Smorigo / WSL

Na sequência, Adriano de Souza não teve dificuldades e venceu os estreantes Caio Ibelli e Davey Cathels na segunda bateria da quarta série. Mineirinho deixou os dois precisando de uma combinação de duas notas para reverter o resultado.
Adriano de Souza vai encarar o estreante Davey Cathels na 2ª bateria das quartas de final.

Adriano de Souza vai encarar o estreante Davey Cathels na 2ª bateria das quartas de final.

Apesar de chegar no mesmo objetivo que Adriano de Souza, o caminho do também paulista Miguel Pupo foi muito mais difícil. Miguel travou um duelo acirrado contra o Italo Ferreira, que acabou na repescagem ao lado do Adam Melling, já que o potiguar não encontrou uma boa segunda nota.
Este já é o melhor resultado do Miguel Pupo nas etapas do Rio de janeiro e no tour de 2016. Foto: Daniel Smorigo / WSL

Este já é o melhor resultado do Miguel Pupo nas etapas do Rio de janeiro e no tour de 2016. Foto: Daniel Smorigo / WSL

Determinados a terminar o campeonato nesta quinta-feira, 19 de maio, a World Surf League realizou ,já no final da tarde, 3 baterias da quinta rodada e o saldo não foi nada positivo para o Brasil.
O havaiano John John Florence, que já estava virando freguês do estreante brasileiro Caio Ibelli, dessa vez não quis saber de brincadeira e com um 7,67 conquistado no início do embate ele foi só administrando a vantagem.
Caio Ibelli acabou eliminado pelo John John Florence. Foto: Daniel Smorigo / WSL

Caio Ibelli acabou eliminado pelo John John Florence. Foto: Daniel Smorigo / WSL

Filipe Toledo, que estava optando pelas ondas mais do inside, começou bem a bateria contra Davey Cathels, mas o brasileiro deixou o australiano se sentir a vontade na bateria, até que ele virou faltando poucos minutos para o fim do duelo.
E o que estava ruim para o Brasil nesta série, piorou. Forte candidato ao título de campeão do Rio Pro, Italo Ferreira encarou Jack Freestone, que mesmo mais seletivo, encontrou as melhores ondas e amanhã vai enfrentar Miguel Pupo.
Jack Freestone foi destque na terceira e na quinta fase. Foto: Daniel Smorigo / WSL

Jack Freestone foi destque na terceira e na quinta fase. Foto: Daniel Smorigo / WSL

A útima bateria da quinta fase entre Michel Bourez e Adam Melling vai abrir a quinta-feira, 19 de maio, no Postinho, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Tags:
COMPARTILHAR