AGUARDE
12 setembro 2016

Gabriel Medina X juízes da World Surf League

Julgamento polêmico envolvendo Gabriel Medina põe juízes da WSL, mais uma vez, na mira dos internautas

O surfe competição teve um sábado, 10 de setembro de 2016, pra lá de polêmico. Na sétima bateria da terceira rodada entre Gabriel Medina e Tanner Gudauskas, o brasileiro, que estava perdendo e precisava de uma nota 8.34 para reverter o resultado, pegou uma excelente direita faltando pouco mais de 8 minutos para o fim do embate. Após surfar muito bem essa onda, Gabriel, a maioria das pessoas que assistiam e até os locutores em inglês da competição (Ross Williams, Strider Wasilewski e Barton Lynch) tinham certeza de que a virada tinha acontecido. Mas para a surpresa de todos, os juízes deram 8.30 para o brasileiro e ele acabou eliminado.

A indignação de Medina, que ironicamente aplaudiu os juízes, logo se espalhou pela internet.

 

 

 

Porém, esta não é a primeira vez que um julgamento da WSL envolvendo Gabriel Medina gera discordância na internet. Vamos relembrar outros momentos:

 

Rip Curl Pro Portugal 2012

Em jogo estava não só uma bateria, mas o título da oitava etapa do circuito da elite mundial. De um lado, uma promessa brasileira, que já tinha três vitórias no CT, do outro uma outra promessa, só que australiana, que ainda não tinha vencido nenhuma etapa.

Julian precisava de 7.55 para virar o placar em cima do brasileiro e depois de pegar um tubo apertado e mandar duas manobras de finalização, os juízes deram 8.43 para o australiano, que disse ter achado a nota alta, mas que reconhecia o resultado.

O brasileiro que só soube a nota já na areia, assim como todo mundo, ficou bem chateado com o resultado e disse, quase chorando:

É a terceira vez que eles (juízes) erram comigo

 

 

 

Billabong Pro Tahiti 2016

Na segunda bateria da semifinal da etapa de Teahupoo, Gabriel Medina e John John Florence protagonizaram um duelo emocionante. Mas mesmo tendo tirado uma nota 10, Medina não conseguiu vencer o havaiano, que somou 19.66.

Para Ricardo Bocão, um dos diretores gerais do canal Woohoo, essa bateria foi mais um erro dos juízes, que não souberam comparar as notas.

 

Tags:
COMPARTILHAR