AGUARDE
09 junho 2014

Hawaiian Overview

Clicks que revelam a intimidade das ilhas

Creio que a maioria das pessoas interessantes já teve ou ainda tem uma enorme vontade de conhecer o Havaí. Você não precisa ser um fissurado em surf para já ter sentido esse desejo, essa força inexplicável que surge no momento em que nos relacionamos com algum artefato das ilhas, seja uma imagem, um objeto ou o sentimento de alguém que já teve a sorte de estar por lá.

Toda vez que penso em dividir essa experiência, sendo o mais fiel possível às minhas lembranças e emoções, me deparo com o mesmo desafio de sempre: Definir o que é estar no Havaí. Em todas as oportunidades em que me proponho a fazer isso, seja em uma conversa informal com os meus amigos, seja com o objetivo de ajudar alguém que planeja ir para lá, relembro como é difícil descrever o que de mais rico existe naquele lugar.

Algumas horas adiante passamos a entender que Aloha é muito mais que um cumprimento

Tem algo no Havaí que vai além da realidade objetiva, uma força que, por mais que a gente tente entender, não pode ser verbalizada. É uma energia mágica mesmo, algo que permeia a atmosfera desse arquipélago e que inevitavelmente a gente sente quando estando por lá. Ao desembarcar no aeroporto de Honolulu, e isso costuma levar um pequeno tempo para que seja registrado, é essa sensação profunda de transformação e mudança da nossa percepção, pois algumas horas adiante passamos a entender que Aloha é muito mais que um cumprimento.

Sendo um pouco mais didático, só para situar aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de ir até lá, o Havaí é formado por algumas ilhas, sendo as mais conhecidas Oahu, Maui, Kauai e Big Island. Oahu é onde está situado o lendário North Shore, aquele lugar remoto de ondas extraordinárias, e é exatamente sobre esse lugar que gostaria de focar a nossa atenção nesse instante. Acho que para todo surfista e não surfista existe um atalho para compreender esse sentimento que tento descrever toda vez que falo do Havaí. O clássico filme americano “North Shore”, o nosso “Surfe no Havaí”, traz um pouco dessa emoção que é estar lá.

É impossível escrever um artigo sobre aquele região e não narrar o fascínio de vivenciar um pôr do sol em Sunset Beach, frequentar as célebres praias de Banzai Pipeline e Waimea. Assistir às ondas quebrando e a galera botando pra dentro, se deparar com a natureza selvagem e preservada daquela região. Percorrer a estrada que liga Honolulu ao North Shore, a Kamehameha Highway, passar pelo Byodo Templo no caminho até lá e sentir a conexão com o Oriente, apreciar essas beleza e as enormes carpas que nadam em seu lago particular, a sensação do relacionamento com o tempo exclusivo das filosofias orientais, ver as usinas de energia eólica em funcionamento, as formações montanhosas vulcânicas com o seu delineamento singular, passear por Haleiwa e comer no Thai, ter a sensação de que pode esbarrar com o mito Kelly Slater a qualquer momento... todas essas experiências são o que fazem iniciar e fluir essa energia que mencionei no nosso corpo e é nesse ponto que a essência da ilha começa a se revelar.

De fato o Havaí é um local fascinante e é natural que ao voltar de uma experiência pelas ilhas polinésias você sinta que algo mudou de forma profunda na sua personalidade. Ninguém é capaz de respirar os ares do North Shore em Oahu, ver praias inigualáveis, ficar defronte a uma natureza que nos cala e se manter igual, o mesmo.

O Havaí é um refúgio. Um lugar onde natureza, espiritualidade e liberdade se conectam e se traduzem nos mistérios desse arquipélago isolado no Pacífico. A única coisa que posso fazer é deixar o convite de ir até lá, pois pode ter certeza que disso você não vai se arrepender. Se é que você irá voltar, é claro.

 

 

 

 

Tags:
COMPARTILHAR