AGUARDE
11 janeiro 2018

ISA e WSL definem acordo para os jogos Olímpicos de Tóquio

18 das 40 vagas serão destinadas aos surfistas do CT

No fim do ano passado, a International Surfing Association, entidade responsável pelo esporte nos Jogos Olímpicos de Tóquio, anunciou um acordo com a World Surf League, que responde pelo circuito mundial de surfe, a respeito da seleção dos surfistas que vão brigar por medalhas no Japão. Segundo o comunicado enviado à imprensa, das quarenta vagas reservadas ao esporte, 18 delas serão de surfistas da elite do surfe mundial, onde estão Gabriel Medina, John John Florence e outros competidores renomados. 

Dessas 18 vagas, dez serão destinadas aos homens e oito ficarão reservadas para as mulheres. Os outros vinte e dois lugares serão definidos nos Jogos Mundiais de Surfe da ISA de 2019 e 2020, e também nos Jogos Pan-Americanos de 2019, que acontecem em Lima, no Peru. O Japão, nação-anfitriã da Olimpíada, terá direito a uma vaga na disputa masculina e outra na feminina.

A Olimpíada de 2020 será diferente de tudo que já vimos. Isso porque dois dos esportes de ação mais de mais reconhecimento no mundo conseguiram entrar, pela primeira vez, no maior evento esportivo do mundo: o surfe e o skate. Enquanto as autoridades referentes ao carrinho ainda estão num estágio bem burocrático, o universo do surfe já está caminhando mais à frente.

Com a aliança entre as duas entidades do surfe, as regras da ISA passam a valer para os surfistas do CT também, ou seja, eles na verdade terão que competir por seus países nos Jogos Mundiais, já que todos precisam se classificar pelas federações nacionais, no caso brasileiro pela CBSurf, se quiserem participar da Olimpíada de Tóquio em 2020.

A decisão final sobre todo esse processo de seleção ainda espera a aprovação do Comitê Olímpico International, que pretende soltar o veredito em fevereiro

Tags:
COMPARTILHAR