AGUARDE
17 junho 2016

Medina rumo ao bicampeonato mundial?

É verdade que o líder Matt Wilkinson está disparado no ranking, mas Medina mostrou em Fiji que pretende entrar para a briga do título mundial

A edição de 2016 do Fiji Pro vai ser uma daquelas etapas que vão entrar para a história do circuito da elite do surfe mundial. Não só pela vitória avassaladora de Gabriel Medina, mas pelas perfomances de alguns dos competidores da elite. O último dia do campeonato teve ondas entre três e quatro metros em Cloudbreak e começou com as quartas de final na água.

Gabriel Medina mostrou muita intimidade com as esquerdas perfeitas de Cloudbreak. (Foto: WSL/ Ed Sloane)

Gabriel Medina mostrou muita intimidade com as esquerdas perfeitas de Cloudbreak. (Foto: WSL/ Ed Sloane)

No primeiro embate, um duelo de brasileiros campeões mundiais. Medina enfrentou Mineirinho e acabou derrotando o compatriota. Na sequência, o mito norte-americano Kelly Slater somou incríveis 18,70 pontos em cima do paulista Wiggolly Dantas, que se despediu da competição. Nos dois últimos confrontos, duas surpresas. Primeiro, o australiano Adrian Buchan eliminou o tricampeão mundial Mick Fanning. Depois, o líder do ranking Matt Wilkinson despachou o havaiano John John Florence, que vinha quebrando em todas as suas baterias.
Kelly Slater fez seu melhor resultado do ano até o momento. (Foto: WSL)

Kelly Slater fez seu melhor resultado do ano até o momento. (Foto: WSL)

Nas semis, Medina cresceu pra cima do onze vezes campeão mundial e Kelly Slater terminou na terceira colocação, conquistando seu melhor resultado na temporada até agora. Em seguida, Matt Wilkinson superou seu compatriota Adrian Buchan e chegou à sua terceira final no circuito de 2016. Mas do outro lado, existia um inspirado Gabriel Medina. Campeão dessa etapa em 2014, o garoto de Maresias atropelou o dono da lycra amarela, Matt Wilkinson. Com notas na casa dos 7 e 8 pontos, vindas de tubos profundos e manobras inovadoras, Medina deixou o australiano em combinação e venceu, mais uma vez, o Fiji Pro. A vitória lhe rendeu nada menos do que a vice-liderança do ranking e um convite de ouro para a briga pelo título mundial de 2016.
Matt Wilkinson fez a sua terceira final em 2016. (Foto: WSL)

Matt Wilkinson fez a sua terceira final em 2016. (Foto: WSL)

Não sei quem pode parar esse cara, terceira final do ano Mas eu estou muito feliz de ter feito essa final com ele, é um grande amigo meu, confessa Gabriel Medina.

Confira as imagens do último dia do Fiji Pro 2016!

Seria a vitória no Fiji Pro a nova ascensão de Medina rumo a mais um título mundial?

Assim como em 2015, Gabriel Medina não começou o ano muito bem no ranking. No entanto, o campeão mundial de 2014 chegou na etapa de Pipeline como forte candidato ao título do ano passado. Ele começou a construir sua trajetória rumo ao topo depois da etapa de Jeffreys Bay, na África do Sul. Esse ano, ao que tudo indica o caminho de ouro começou mais cedo. Depois da terceira colocação no Rio, Medina conquistou o título do Fiji Pro e pulou nada menos do que sete posições. Ele agora é o vice-líder do ranking e entrou na briga direta pelo título mundial de 2016. Será que esse é o ano do bicampeonato?

Tags:
COMPARTILHAR