AGUARDE
21 maio 2018

Mídia especializada se curva diante do OI rio pro 2018

E os haters de plantão tiveram que arrumar outra coisa para criticarem.

“Eu trocaria uma centena de ingressos para  a Surf Ranch por um dia de “It’s On” em Saquarema.” Foi assim que começou o texto da surfline, umas das plataformas mais populares da mídia especializada, sobre o Bicampeonato de Filipe Toledo na etapa brasileira do Championship Tour 2018. O elétrico brasileiro recebeu o apelido de Vela humana pela publicação, que contou ainda aos seus leitores como a Barrinha nos fez lembrar o quão dramática pode ser uma competição de surfe e que não há substitutos para a mãe natureza. 

Matt Pruet descreve o canudo profundo, que valeu 9,93 pontos assinado pelo surfista de Ubatuba na grande final, como silenciador dos críticos que ainda insistem em  questionar as habilidades de Toledo em condições pesadas. Em uma breve retrospectiva , Pruet apontou o Oi Rio Pro 2018 como a mais emocionante parada do Tour e lamentou a WSL não ter adiado as finais femininas para aquele mar de sexta-feira ou até de sábado. Ele finaliza o texto  dando uma alfinetada na liga, ao declarar que a etapa brasileira despertou a vontade de embarcar em uma  surf trip para Saquarema, mais precisamente no mês de setembro, entre os dias 6 e 9, justamente na data que o circuito vai ancorar na piscina de ondas de Kelly Slater, em Lemoore, na Califórnia. 

Outra renomada plataforma, a Surfer afirmou também que as disputas na Barrinha fizeram com que o primeiro evento de surfe mecânico do mundo, parecesse bobo. Segundo eles, a parada brasileira foi criada para fracassar, mas em vez disso rodou uma chave nas engrenagens da máquina. No texto, eles escreveram que Filipe Toledo  é o cara que leva o Brasil para o mundo. Com suas acrobacias, sua maneira genuína, suas tatuagens e até  suas lágrimas, ele é o brasileiro que o resto do mundo vai torcer todos os dias da semana.

E aplaudiram ainda o vice-campeão e novato na elite, Wade Carmichael. Em um cenário onde proliveram treinadores, treinadores de vida, gerentes, gerentes de equipe, cineastas, especialistas em respiração, familiares e toda sorte de acessores, o surfista australiano chegou no evento por conta própria, sem ninguém ao seu lado, e fez o que fez, atingindo um excelente segundo lugar carregado por uma performance quase impecável.

Fechando o pacote de elogios ao evento que comprovadamente foi um sucesso absoluto,  até a apelativa e muitas vezes preconceituosa, Stab Magazine, lembrou o quão agradável foi assistir o Oi Rio Pro e chegou a comparar as ondas da Barrinha com as de Kirra, na Costa Dourada australiana. Mas, de acordo com eles, nem tudo foi tão perfeito como a transmissão ao vivo fez parecer. Eles destacaram os rumores em torno de múltiplos competidores contraindo problemas estomacais, como Jonh  John, que supostamente vomitou a noite toda antes de perder na quarta rodada e até mesmo Filipe Toledo que sofria de uma dor de barriga na noite anterior à final. 

Incomodo e sofrimento foram alguns dos sentimentos que restaram para aqueles que torciam para tudo dar errado em Saquarema. Depois do final apoteótico, essa turma agora já deve ter encontrado algo melhor para fazer.

Tags:
COMPARTILHAR