AGUARDE
14 setembro 2016

Música tem cheiro

Ao lembrar os meus momentos a partir de músicas, relembro minha história.

No post anterior, falei que, para mim, a música é tão significativa que me traz muitas sensações à memória. Muitas vezes, essas lembranças vem com emoções muito fortes, com cheiro. Às vezes, o cheiro do lugar, o aroma de uma comida, o odor de um perfume e, por aí, vai. No post passado, dei o exemplo sobre a música Dark Horses, do Switchfoot, que me lembrava o Aterro do Flamengo no Rio de Janeiro, o cheiro de praia, maresia, o barulho das ondas. É muito louco isso.        
Pensando sobre o cheiro da música (muitos risos), lembrei de outra canção que me leva rapidamente para o passado e me lembra do mar, também.        
Em 2000, fiz 18 anos, e fiz minha  primeira viagem internacional. Meu pai me deu uma viagem para Portugal. Fiquei por lá 28 dias e, nessa viagem, conheci 31 cidades. Foi demais! Uma mistura de mochilão roots, sozinho, com viagem em família (tenho primos nas terras de Camões). Nessa viagem conheci o primeiro disco da cantora Sara Tavares, uma cabo-verdiana, sensacional. O Mi Ma Bô, de 1999, talvez seja um dos melhores discos que já ouvi. Bem produzido, súper eclético,  profundo nas letras, multi-ético por ser cantado em três línguas, e com melodias de arrepiar... Demais! Ouvia o disco todo, em loop. Tipo até riscar. Mas uma canção me marcou. Uma música entrou para meu imaginário, para minha história:   Eu Sei.  (https://open.spotify.com/track/0vJtLwyeboNJ8jLejDaWwC)     
       
Lembro da viagem e, ao longo do tempo, essa canção foi desenhando comigo minha história e minha jornada. Ela me acompanhou na adolescência, nos meus momentos de solidão, nas minhas alegrias, tristezas e, inclusive, foi uma das canções que marcaram meu casamento.

Ela entrou na trilha sonora desse dia tão especial, há 10 anos atrás.        
Acho muito legal escrever essa coluna. Ao lembrar os meus momentos a partir de músicas, relembro minha história e registro para a eternidade nessas poucas linhas soltas aqui no Woohoo.        
Fica meu convite para você a entrar nessa auto análise coletiva e musical.

Tags:
COMPARTILHAR