AGUARDE
01 abril 2019

WSL em noite de gala

Discursos com temas como homosexualidade, premiação e dedicação tornaram o World Surf League Awards mais animado

Nada de lycra de competição e nem protetor solar, na noite de domingo, 31 de março, alguns dos melhores surfistas do mundo investiram no figurino para o World Surf League Awards. A premiação dos campeões de 2018 aconteceu em Coolangatta, em Queensland, Austrália, e celebrou o encerramento de um ciclo que contou com 31 eventos e consagrou 11 campeões.

Stephanie Gilmore e Gabriel Medina voltaram a dividir os holofotes na premiação da WSL, como fizeram em 2014. Foto: © WSL / Cestari

 

As principais estrelas dessa festa foram Stephanie Gilmore e Gabriel Medina, os campeões da categoria elite. O segundo troféu de melhor do mundo só foi parar nas mãos de Medina em Pipeline, no Havaí, onde o brasileiro superou definitivamente seus principais adversários Julian Wilson e Filipe Toledo. Ao receber o troféu, Gabriel não esqueceu dos companheiros de tour e agradeceu a eles por tornar essa glória ainda mais especial.

Parabéns Julian e Filipe por ter levado o surfe para um novo nível, vocês me fizeram trabalhar bastante.

Já mais calejada nesse caminho, Stephanie Gilmore, que faturou o sétimo título mundial dela e alcançou Layne Beachley na galeria de detentora de mais troféus do CT, escolheu o anúncio de igualdade na premiação entre as categorias masculina e feminina a partir de 2019 como o principal conquista de 2019.

Ter anunciado a igualdade na premiação entre homens e mulheres, foi um momento verdadeiramente especial no ano passado. Isso me fez sentir grata em ser campeã, em ser uma líder.

Outra campeã que tocou no assunto igualdade nas premiações pagas para homens e mulheres dentro dos eventos homologados pela World Surf League foi Keala Kennelly. Vencedora do Jaws Challenge, Keala foi além e levantou uma bandeira que ainda é tratada como tabu dentro da entidades homosexualidade.

Dona de um dos discursos mais aplaudidos da noite, Keala Kennelly comemorou o título mundial de ondas grandes. Foto: © WSL / Cestari

 

Eu precisei sonhar grande para me tornar a primeira homossexual assumida a ser campeã mundial.

 

Veja a galeria completa de campeões da World Surf League 2018:

Championship Tour: Stephanie Gilmore (AUS), Gabriel Medina (BRA)
Big Wave Tour: Keala Kennelly (HAW), Grant ‘Twiggy’ Baker (ZAF)
Longboard: Soleil Errico (USA), Steven Sawyer (ZAF)
Pro Junior: Kirra Pinkerton (USA), Mateus Herdy (BRA)
Masters: Layne Beachley (AUS), Rob Bain (AUS)
Grand Masters: Dave Macaulay (AUS)

Mateus Herdy entrou no hall de campeões mundiais Pro Jr da WSL. Foto: © WSL / Cestari

 

Além desses troféus, a WSL também homenageou outros competidores que se destacaram no ano passado. Foram eles:

Prêmio dos fãs: Tatiana Weston-Webb (BRA), Gabriel Medina (BRA)
Onda do ano: Carissa Moore (HAW), Gabriel Medina (BRA)
Manobra do ano: Carissa Moore (HAW), Filipe Toledo (BRA)
Bateria do ano: Carissa Moore (HAW) vs. Courtney Conlogue (USA) at Beachwaver Maui Pro / Gabriel Medina (BRA) vs. Conner Coffin (USA) at Billabong Pipe Masters
Vice-campeões mundiais do CT: Lakey Peterson (USA), Julian Wilson (AUS)
Estreantes do ano no CT: Caroline Marks (USA), Wade Carmichael (AUS)

 

A premiação da World Surf League fez parte do Flash do News, que foi exibido no dia primeiro de abril, veja o vídeo:

 

Tags:
COMPARTILHAR