AGUARDE
14 janeiro 2019

Nyjah Huston e Aori Nishimura vencem Street League 2018 no Rio de Janeiro

Kelvin Hoefler e Letícia Bufoni passaram perto do topo, terminando em segundo lugar

A inédita passagem da Street League pelo Brasil foi um sucesso. Com a Arena Carioca 1, na zona oeste do Rio de Janeiro, lotada, o evento chegou ao fim consagrando o americano Nyjah Huston e a japonesa Aori Nishimura como campeões e os brasileiros Kelvin Hoefler e Letícia Bufoni como vices.


Letícia Bufoni perdeu para japonesa Aori Nishimura. (Foto: Paulo Macedo)

 

As mulheres abriram as ações no domingo decisivo. A final feminina contou com oito skatistas, sendo quatro delas representantes da torcida verde e amarela. Letícia Bufoni, Pamela Rosa, Karen Feitosa e Virginia Fortes Águas, de apenas 12 anos de idade enfrentaram nomes de prestígio do street global.

O novo formato da competição garantiu batalhas dinâmicas que tiraram o fôlego do público. Cada competidora tinha direito a duas voltas de 45 segundos cada e depois mais 5 tentativas de manobras. Quem somasse as quatro melhores notas, sagrava-se campeã. Os juízes analisaram fatores como agressividade, dificuldade, variedade e originalidade.

Com apenas 17 anos de idade, a japonesa Aori Nishimura mostrou desde o início um skate preciso e cirúrgico, com raríssimas falhas. Mas a brasileira Letícia Bufoni roubou a cena e levantou a torcida com seu skate power e estilo único. Ela chegou muito perto do título em sua última manobra, ao obter uma nota 9 que a colocou em primeiro lugar temporariamente. Ela e o público comemoraram muito, mas ainda faltava a última chance de Nishimura, que precisava de um 8,5 para faturar o primeiro titulo do mundial de street de sua carreira. E foi exatamente o que ela conseguiu para estragar a festa de Bufoni. A norte-americana Lacey Baker, defensora do troféu, completou o pódio na terceira colocação. 

 


Pódio completo da SLS feminina. (Foto: Paulo Macedo)

 

A final masculina chamou a atenção pelo alto nível técnico. Pela primeira vez na história da Liga, os skatistas marcaram 14 nine clubs, que são notas iguais ou superiores aos 9 pontos. E mais uma vez o Brasil chegou muito perto do topo. Kelvin Hoefler deu tudo de si entre os obstáculos e corrimãos, mas nada parecia estremecer o multicampeão Nyjah Huston, que provou que é realmente o cara a ser batido da SLS. Com uma exibição impecável com direito a quatro notas acima de 9,0 nas manobras: um 9,3; um 9,0; um 9,5 e um histórico 9,6, o californiano de 24 anos sagrou-se pentacampeão mundial de street skate, com somatório de 37,6, superando os 37,0 de Hoefler. O brasileiro Felipe Gustavo somou  35,5 pontos e conseguiu a medalha de bronze. 

 


Nyjah fez a festa no Rio de Janeiro. (Foto: Paulo Macedo)

 

Vale lembrar que a etapa final da Street League Skateboarding foi a primeira competição da categoria a ser reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional, ja que o esporte será disputado pela primeira vez na Olimpíada de Tóquio, em 2020.

Tags:
COMPARTILHAR