AGUARDE
09 maio 2016

Pele Preta Tatuada

Tatuador baiano cria projeto com referências para tatuagens em pele negra

Em um momento em que o negro está casa vez mais empoderado um projeto que chegou para somar merece destaque, o #PelePretaTatuada. A idealização é de Finho, tatuador e grafiteiro baiano, que no início dos anos 2000 percebeu que faltavam referências de tatuagens em pele negra na maioria dos catálogos. Apesar de tatuar bastantes negros, os esses trabalhos não tinham grande projeção nos seus portfólios, mas esse panorama mudou nos últimos anos.

Finho / Foto: Divulgação

Quando você começou a tatuar?

Comecei a tatuar em 2001 no estúdio Alvaro Tattoo, estúdio de tatuagem em Salvador do grande tatuador (e também meu amigo e compadre) Álvaro Medrado, que foi quem me ensinou e me deu todo apoio, e onde permaneci tatuando até final de 2015, quando saí pra colocar em prática um projeto meu - o de ter meu estúdio próprio.

Aila Oliveira / Foto: Divulgação

Como surgiu o projeto Pele Preta Tatuada?

Surgiu naturalmente, já que eu moro e tatuo em Salvador, uma cidade em que nós negros, somos grande parte da população. Eu tatuo e sempre tatuei pele preta desde que comecei a tatuar, a minha primeira tattoo inclusive foi em pele preta. O que aconteceu com o projeto foi que, com o passar do tempo, eu fui me dando conta e percebendo que desde quando comecei a tatuar até o presente momento, era complicado para quem era preto que nem eu ter uma noção real de como ficariam as tatuagens na pele, já que não é comum você ver fotos de trabalhos publicados em revistas ou mesmo nos portfólios dos estúdios. E cabe aí a mea culpa, porque durante muito tempo eu também fotografava/publicava basicamente os meus trabalhos coloridos e grandes. Até que através de conversas e de umas tantas reflexões eu fui percebendo que se existia essa lacuna e não tinhamos (e precisávamos) essas referências, teríamos que ser e produzir nós mesmos essas referências. Em suma, o #pelepretatatuada é isso - minha resposta a esse hiato através dessa contribuição com referências negras e com isso, mostrar que tatuagens ficam bonitas na pele preta, sim.

Zé Balbino / Foto: Divulgação

Acha que aumentou o interesse de pessoas negras pela tatuagem?

Eu tenho notado que muita gente tem abraçado legal a idéia do projeto, e em grande parte pelo conceito e por sentir essa necessidade de representação. Mas pra ser sincero, como falei em um outra entrevista, as pessoas pretas já se tatuavam antes do #pelepretatatuada (felizmente) e vão continuar se tatuando - mesmo não aparecendo nos álbuns. Acho que o que tem aumentado é o interesse da população em geral, e por tattoos cada vez maiores e em locais mais aparentes. Nesse processo, com certeza vai ter muita pele preta tatuada, lógico!

A pessoa negra deve tomar algum cuidado especifico? Seja na hora de escolher o desenho ou com a tatuagem?

O cuidado a ser tomado é o de escolher muito bem o tatuador e conversar bem com ele, ouvir o que ele tem a dizer sobre o desenho e como vai ser feito, porque tattoos podem ser feitas em pele negra, isso é um fato - mas como vai ser feita, aí já vai variando de pele pra pele. Nem toda pessoa negra eu vou ter condições de trabalhar uma tatuagem colorida ou com uma certa gama de detalhes. Então tem que escolher bem o profissional que vai saber respeitar esses detalhes e chegar num consenso entre o que o cliente quer e o que vai funcionar na pele. Um outro cuidado seria com exposição aos raios solares, mas esse não é um cuidado específico - todos independente de mais ou menos melanina, tem que se proteger do sol nos lugares tatuados.

Dira Goes / Foto: Divulgação
Tags:
COMPARTILHAR