AGUARDE
29 abril 2014

Pink Floyd 13 de Novembro de 1971

Hendrix não fazia a menor idéia quando disse 'nunca mais voce vai ouvir surf-music novamente'

[caption id="attachment_1411" align="alignnone" width="1100"]Pink Floyd ao Vivo em Pompeii 1972 Pink Floyd ao Vivo em Pompeii 1972[/caption]

O produtor David Elfick conta a seguinte estória nos extras do DVD Crystal Voyager.
'Pink Floyd era uma das grandes bandas do mundo e George Greenough tinha ouvido aquela canção, Echoes, e gostado muito. Será que conseguimos essa música David ? Perguntou George.'
David tinha acabado de assistir um bloco editado de 23 minutos (ver tempestade) e conseguir aquela música tinha virado uma questão de vida ou morte.
O que fez Elfick ?
Pegou o rolo de 16mm e foi até Londres pedir pessoalmente aos Floyds.
Chegando lá, depois de passar pela triagem, David conseguiu falar com o empresário e sugeriu: 'Podemos fazer uma troca, voces me dão a música em troca das imagens que tenho aqui'.
O empresário olhou incrédulo, por que diabos o Pink Floyd ia querer aquilo ?
Elfick insistiu em mostrar as imagens pra banda e eles toparam.
Imaginem então aquele sujeito com uma bobina de filme nas mãos tentando negociar com a banda que tinha acabado de lançar seu disco de maior sucesso, The Dark side of the moon.
Encerrada a sessão, Elfick nervoso, 'que tal ?'
'Negócio fechado. Mas da próxima vez toca esse som mais alto.'
Hendrix não fazia a menor idéia quando disse 'nunca mais voce vai ouvir surf-music novamente', que Echoes, lado B do LP Meddle, do grupo que fez turnê com ele no final dos 60, seria referência de música dos surfistas.
A mistura do baixo, bateria e orgão temperada com as guitarras do Gilmour te tiram do chão.

Bem vindo a bordo da nave subaquática espacial.
E não só isso, o Pink Floyd adotou as imagens do Crystal Voyager como pano de fundo das suas apresentações pela Europa e EUA.
Meddle abre com o baixo de Roger Waters furando as caixas de som (duplicado com David Gilmour atirando simultaneamente) como Carroll em Pipeline no final dos anos 80.

[caption id="attachment_1410" align="alignnone" width="1084"]No estudio, gravando Meddle No estudio, gravando Meddle[/caption]

O LP é reconhecido como o primeiro grande album do Pink Floyd depois da pirada do Syd Barret. A capa é uma foto de uma orelha debaixo d'água (o artista Storm Thorgerson tinha sugerido uma foto artistíca do ânus de um babuíno, felizmente recusada pela banda).
Greenough, do jeito que era livre e criativo, deve ter logo enxergado a curva de uma onda rodando na foto da capa - aquilo era um tubo como apenas George via.
Todo resto do LP é em clima de final de década, cair da tarde, com nomes que induzem ao torpor: Pillow of winds, Fearless (esta aparentemente uma homenagem do Roger Waters, torcedor fanático do Liverpool, ao título da Wembley Cup com trechos do hino You'll never walk alone), Saint Tropez e Seamus.
Ainda demoraria mais 8 anos para o Pink Floyd lançar seu outro disco fundamental para turma da cueca cheia de areia: The Wall, de 1979.
E por que ? pergunta o amigo.
A inesquecível abertura do filme The Performers, com a equipe da Quiksilver no Havaí.
We don't need no education?We dont need no thought control?No dark sarcasm in the classroom?Teachers leave them kids alone?Hey! Teachers! Leave them kids alone!

Tags:
COMPARTILHAR