AGUARDE
09 março 2015

Prova de contato | Cassio Sanchez

Surfista de Santos, SP, Cassio Sanchez transformou seu caminho e se tornou um artista que transcende o ambiente aquático.

Surfista, santista, artista. A lista pode até ir mais além.Cassio Sanchez pega onda e ganha a vida da melhor forma possível: surrando pra viver e vivendo pra surfar. Já competiu em circuitos amadores e profissionais mas o que lhe chama mais atenção não é o que acontece nos campeonatos. Na sua família a água salgada corre nas veias. Seu pai e seu tio o incentivaram desde criança a aproveitar o que o oceano tem a oferecer. E é claro, Cássio aprendeu rápido. Mas surfe pra esse cara significa mais. Por isso ele decidiu trilhar seu próprio caminho. Em meio a arte, fotografia e onde mais sua criatividade o levar.       Por quê você fotografa? Me fascina registrar e eternizar visões. O que te inspira? Através do surf venho entendendo mais sobre as possibilidades de infinitos caminhos para um mesmo objetivo. A cada novo amanhecer, assim como a cada onda, temos uma nova oportunidade - Uma tela branca para criar e praticar, sem limites. O oceano e o dia-a-dia me inspiram muito! O que surfe e fotografia têm em comum? Ambos são arte, ou seja, um caminho. Para praticar basta estar vivo, confiar nos instintos, estudar algumas técnicas e usufruir de equipamentos acessíveis O que você procura capturar através das suas imagens? Intuitivamente procuro um bom ângulo e enquadramento nas cenas interessantes que meus olhos presenciam. Procuro eternizar minha visão particular dos momentos que vivo. Basicamente, gosto de registrar tudo o que existe. O que é arte pra você? Pra mim a arte não tem um padrão, uma lei ou algo que precisamos estudar. Acredito que a arte seja a vida e a partir do nascimento de qualquer ser, aí está o artista! Tentei me enquadrar em alguns estilos e isto estava matando minha criatividade. Só então, após começar a estudar a filosofia do Bruce Lee, confirmei que não havia nada de errado comigo ou com a minha arte. Bruce diz que estilo é cristalização, algo concluído. E arte pra mim não é a conclusão, mas sim a ação durante este caminho. Conclusão é morte e arte é o caminho! Atualmente vivo em constante mutação (movimento) como a água. Procuro criar com o que tenho ao meu alcance, no momento presente, e de acordo com o meu desejo atual. É como surfar com qualquer modelo de prancha, qualquer combinação de quilhas. No que você está trabalhando neste momento? Nos últimos meses estive na Cidade do Cabo, África do Sul, para estudar e melhorar meu inglês. Trabalhei como assistente do artista plástico Sul-africano Thomas Mulcarie. Atualmente estou com um estúdio de arte no centro histórico de Santos, minha cidade natal. Também trabalho há 2 anos e meio como diretor de arte da minha marca, a Sweet Monsters. São almofadas em forma de monstrinhos. Tudo isso além de surfar, minha arte preferida. Próximos projetos? Pretendo fazer uma exposição no próximo ano, lançar um livro em parceria com a Turbu e introduzir os Sweet Monsters no mercado. Mas todos os planos podem mudar. Mesmo assim, surfe eu pretendo praticar até meu corpo não aguentar mais.

Tags:
COMPARTILHAR