AGUARDE
04 setembro 2018

Quem será o estreante do ano?

Além do título mundial, a WSL também premia de maneira simbólica o melhor estreante do ano ao fim da temporada.

Em 2018 não são poucos nessa disputa. Vamos lá com o ranking das figuras novas no Championship Tour!

1 - Wade Carmichael (5º colocado no ranking do CT)

Super garantido na elite do ano que vem, o australiano Wade Carmichael entrou no Tour sem grandes alardes, mas já fez duas finais esse ano, perdendo ambas para o atual líder, Filipe Toledo. Com um surfe polido e potente, é o grande favorito para conquistar o título de estreante, já que ocupa a surpreendente quinta colocação no ranking.

 

2 - Willian Cardoso (9º colocado)

Das oito figuras novas na elite do surfe mundial, cinco são brasileiros e desses, apenas Willian Cardoso está numa colocação digamos que confortável. Atualmente ocupando o nono lugar, o catarinense que ficou mais de uma década batalhando na divisão acesso parece que encontrou o seu lugar. Seu auge foi conquistar uma vitória histórica nas esquerdas de Uluwatu, o que praticamente lhe garantiu na elite de 2019.

 

3 - Griffin Colapinto (13º colocado)

Descendo na lista surge um representante da nova geração: Griffin Colapinto. Atual décimo terceiro colocado, ele já obteve bons resultados e arrancou muitos elogios da mídia especializada. 

 

4 - Michael Rodrigues (14º colocado)

A situação desse surfista cearense morador de Floripa é bem parecida com a de Colapinto. Michael Rodrigues foi mais longe (até as quartas de final) em duas etapas: Gold Coast e Saquarema. Pode não conquistar o título, mas uma coisa é certa: ficará anos figurando entre os melhores do mundo.

 

5 - Yago Dora (21º colocado)

Na zona da degola estão dois brasileiros, e um deles é Yago Dora. Atual vigésimo primeiro colocado, o jovem catarinense ainda não apresentou o surfe que estamos acostumados a ver em suas sessões de freesurf e para se manter entre os melhores do mundo precisa de bons resultados urgentemente.

 

6 - Tomas Hermes (23º colocado)

O outro surfista na bolha para a reclassificação é Tomas Hermes. O catarinense já teve bons momentos nesse ano, como o terceiro lugar em sua etapa de estreia, na Gold Coast. No entanto, depois disso só amargou resultados ruins.

 

7 - Michael February (27º colocado)

Provavelmente o surfista mais leve do top 34, Michael February tem como melhor resultado o quinto lugar em Teahupoo e fora isso, ele não passou da terceira fase em nenhum evento. Aos 25 anos de idade, precisa evoluir, principalmente na parte física, para seguir entre os melhores do mundo.

 

8 - Jesse Mendes (28º colocado)

Ninguém está mais ameaçado do que Jesse Mendes. Tendo como melhor desempenho o nono lugar em Keramas, o paulista ainda não conseguiu encontrar a sua melhor forma e vem sofrendo com os novos critérios de julgamento da WSL e também com a resistência dos juízes. Precisa de uma sequência positiva para sair da zona da degola.

Tags:
COMPARTILHAR