AGUARDE
29 julho 2019

Rayssa Leal, a nossa "Fadinha", faz história na Street League

Com apenas 11 anos de idade, a maranhense tornou-se a mais jovem a vencer uma etapa da liga mundial da modalidade

Mais um capítulo histórico para o skate feminino brasileiro. Aos 11 anos de idade, Rayssa Leal, mais conhecida como “Fadinha”, escreveu seu nome na Street League Skateboarding ao se tornar a menina mais nova a faturar uma etapa da SLS. Competindo somente pela terceira vez no campeonato mais tradicional de skate street do mundo, a maranhense conquistou o título na prova de Los Angeles, no Estados Unidos, no último domingo.

 


Rayssa com seu primeiro troféu de campeã da SLS. (Foto: @cbskskate)

Rayssa acertou boas manobras na pista construída exclusivamente para a etapa e fez o maior somatório das meninas, 23,3 pontos. Apenas cinco décimos a separaram da vice-campeã e também brasileira, Pâmela Rosa. As duas, então, colocaram o Brasil ainda mais em evidência com a dobradinha verde e amarela. O título da Street League nos Estados Unidos veio para confirmar a ótima fase de Rayssa no esporte, já que ela venceu o Far’n High 2019, na França, e foi medalha de bronze na etapa londrina da SLS, que inclusive, teve Pâmela como grande campeã. Campeã geral da Street League em 2015, Leticia Bufoni também participou da decisão e terminou como sexta colocada. 


Rayssa e Pamela comemoram dobradinha na Street League. (Foto: @cbskskate)

Já na disputa masculina, o japonês Yuto Horigome voltou a vencer. Campeão das provas da SLS em 2018, ele era um dos favoritos para conquistar o título geral no Rio de Janeiro, mas não desencantou por aqui e amargou a oitava colocação. Na primeira etapa dessa temporada, ele nem chegou à decisão, mas em Los Angeles, o japonês superou todos os finalistas e subiu no lugar mais alto do pódio.


Yuto voltou a vencer na SLS. (Foto: @cbskskate)

O melhor brasileiro na disputa foi Giovanni Vianna que, apesar de ter ficado na quarta posição, foi a revelação do evento por ter entrado ainda nas classificatórias globais, depois passou por três eliminatórias até a final e quase subiu no pódio. Carlos Ribeiro e Kelvin Hoefler eram os outros dois representantes do Brasil na decisão e ficaram na quinta e sétima colocações, respectivamente. Atual campeão da Street League e vencedor da prova de Londres, o norte-americano Nykah Huston ficou apagado e terminou na oitava posição. Vale relembrar que a Street League Skateboarding conta pontos importantes para a corrida olímpica.


Giovanni Vianna foi o melhor brasileiro na disputa. (Foto: @cbskskate)

 

Tags:
COMPARTILHAR