AGUARDE
19 junho 2019

Red Bull X-Alps 2019 tem início em Salzburgo

Condições da natureza preveem rota mais exigente do que nunca

A competição de aventura mais dura do mundo regressa para a sua nona edição com novas rotas, novos limites e novas condições desafiadoras. O Red Bull X-Aps 2019 começou no último dia 16,
com 32 atletas de 20 nações diferentes, incluindo 30 homens e duas mulheres. A jornada de mais de 1.000 km acontece entre Salzburgo, na Áustria e Mônaco.

Hiking, corrida de aventura, montanhismo e parapente estão entre os desafios dos competidores que devem percorrer cerca de 100 km por dia. Ao longo do caminho, os atletas vão passar por 13 Turnpoints, que são passagens obrigatórias, e alguns dos mais altos picos e passes dos Alpes em toda a Áustria, Alemanha, Itália, Suíça e França. Cada um escolhe por onde e qual montanha vai subir, assim como o ponto de decolagem, mas todos devem passar pelos sete pontos obrigatórios que ficam registrados no aparelho de GPS.

O primeiro atleta a chegar ao topo foi Maxime Pinot em um tempo de 1h 05m 50s. Apenas 24 segundos depois, foi o herói local austríaco Paul Guschlbauer. Em terceiro lugar, ficou Simon Oberrauner. No início do primeiro dia, houve algumas dúvidas sobre se os atletas seriam capazes de voar da cúpula por conta do risco de tempestades. Mas, em meio a centenas de torcedores e fãs, os atletas voaram para o Turnpoint 2.

No momento, eles já estão no quarto dia de competição e Hristian Maurer está de volta tornando-se o primeiro atleta a pousar e assinar o quadro no Turnpoint 6 Davos. Ele está agora a caminho do Turnpoint 7 Titlis, que também fica na Suíça. Maxime Pinot o seguiu e continua em segundo lugar. Eles agora têm cerca de 655 km até o final em Mônaco. Atrás dos líderes, Aaron Durogati, Paul Guschlbauer e Gaspard Petiot compõem os cinco primeiros, mas muita coisa pode mudar.

De acordo com o regulamento, os competidores não têm meta diária, vence quem chegar primeiro em Mônaco e esse tempo pode variar de 7 a 14 dias. E na chegada, o atleta deve voar até a bandeirada final. E nessa hora, o fator clima entra em cena, se não tiver condição de voo, o competidor deve cumprir o percurso a pé ou dormir na montanha até esperar uma condição ideal de decolagem. Loucura, né? Acompanhe ao vivo essa prova pelo site do Red Bull X-Alps: https://www.redbullxalps.com

 

Tags:
COMPARTILHAR