AGUARDE
28 setembro 2015

Surfe e skate mais perto dos jogos olímpicos

Comitê organizador dos jogos de Tóquio recomenda as duas modalidades para 2020

Duas décadas após ter iniciado uma campanha para virar esporte olímpico, o surfe deu mais um passo importante nesta segunda-feira, 28 de setembro, para estrear nos jogos de Tóquio que vão acontecer em 2020. Depois de ter resistido a uma peneira finalizada no mês de junho de 2015, que contou com 26 modalidades e apenas 8 ficaram, o surfe e o skate conseguiram passar mais uma etapa na seleção que vai escolher qual esporte vai estrear nas Olimpíadas do Japão.

Time argentino na disputa da ISA

A disputa por equipes dos eventos da ISA mostram essa disputa entre nacionalidades. Foto: ISA

Numa batalha com 8 modalidades (surfe, skate, beisebol, boliche, caratê, patins, escalada e artes marciais) o surfe e o skate, assim como o beisebol, a escalada e o caratê, foram anunciados oficialmente nesta segunda-feira, 28 de setembro, como candidatos do comitê organizador local dos jogos de 2020. Com essas 5 opções em mãos, o Comitê Olímpico Internacional vai anunciar no mês de agosto de 2016, qual será o(s) esporte(s), que vai estrear em Tóquio ao lado das 129 modalidades olímpicas. A intenção do COI com esta atitude é dar a oportunidade da cidade sede dos jogos trazer um ou mais esportes que sejam populares no país, o que consequentemente atrai audiência e patrocínio. Fernando Aguerre, presidente da International Surfing Association (ISA) levantou todos os pontos positivos que o esporte tem a seu favor.

Surfe é um esporte global, mais popular do que muitos esportes olímpicos. Os surfistas são muito influentes na cultura jovem

Fernando Aguerre não é o único que vibrou com esta notícia: Kelly Slater, Gabriel Medina, Mick Fanning, Gerry Lopez entre outros são alguns surfistas que apoiaram a campanha do surfe para se tornar esporte olímpico desde o início.

Gabriel Medina e a torcida

O Brasil tem chances de medalha caso o surfe se confirme nos jogos de 2020. Reprodução Instagram @gabrielmedina

Apesar da iniciativa de colocar o surfe na disputa por uma vaga nas olimpíadas ter sido comandada pela ISA, a World Surf League (WSL), que organiza o circuito mundial de maior relevância, sempre apoiou a iniciativa e se manifestou sobre esta conquista em seu site oficial através de uma declaração do comissário do CT masculino, Kieren Perrow.

Estamos satisfeitos que o surfe tenha sido recomendado para os jogos de 2020. O crescimento internacional do surfe é ideal para ser apresentado num palco olímpico.

De acordo com as notícias divulgadas, a ideia da federação de surfe é levar 40 surfistas para Tóquio, 20 masculinos e 20 femininos.

Tags:
COMPARTILHAR