AGUARDE
05 setembro 2017

Tudo pronto para o CT de Trestles

Etapa tem tudo para pegar fogo

Foto: WSL

A produção da oitava etapa do Tour de Elite da WSL já está pronta em Trestles, na Califórnia, Estados Unidos. Entre os dias 6 e 17 de setembro os melhores surfistas do mundo terão o prazer de desfrutar as rampas do pico com apenas mais um ou dois adversários no lineup.

Conhecida por suas ondas super manobráveis, que quebram tanto para direita quanto para esquerda, Lowers Trestles é um paraíso. Localizado dentro de uma reserva ecológica, chegar até o pico requer uma caminhada e quem pretende passar o dia, é bom ir preparado com água, comida e o obrigatório protetor solar. Outra questão sensível  por lá é o crowd. Se você é daqueles que tem fobia de pessoas disputando ondas e até mesmo com remadas mais exaltadas, esse não é o seu pico.

Voltando a falar do campeonato, essa etapa tem tudo para pegar fogo. Com a briga pelo título mundial completamente em aberto e a luta pela permanência na elite ainda muito embolada, as estrelas do Tour vão fazer de tudo para impressionar os juízes.

Em 2016, as condições variaram bastante e as finais foram disputadas em condições difíceis, com ondas pequenas e séries demoradas, mas nem por isso as performances deixaram de chamar atenção. Porém o que mais surpreendeu no evento do ano passado foi a final entre Jordy Smith e Joel Parkinson, e alguns nomes que chegaram as fases decisivas, como Stuart Kennedy, Alex Ribeiro e os convidados Brett Simpson e Tanner Gudauskas. Esse último foi protagonista de uma vitória polêmica sobre Gabriel Medina na terceira rodada.

Realmente essa etapa é aquela imprevisível, onde todos podem se dar bem. Desde os caras mais conservadores, com um surfe de borda apurado, até aqueles com ataques mais contemporâneos que tem as manobras aéreas no pé, como Filipe Toledo, Gabriel Medina e Italo Ferreira. Claro que não podemos descartar nomes como Julian Wilson, John John Florence, Kolohe Andino e Mick Fanning. Todos eles tem um ótimo histórico no pico e um resultado expressivo por lá seria como um incentivo a mais para seguir sonhando com o título mundial.

Além da parte de cima do ranking, lá em baixo a briga também promete esquentar já que apenas os 22 melhores se classificam para 2018 e até o momento nomes de peso como Miguel Pupo, Josh Kerr e Jack Freestone estão ficando de fora da elite na próxima temporada. Certamente esse será mais um campeonato eletrizante da Liga Mundial de Surfe.

 

Tags:
COMPARTILHAR