AGUARDE
23 maio 2016

Vencedores do Festival de Cannes 2016

"I, Daniel Blake" desbancou o brasileiro "Aquarius" e ganhou a Palma de Ouro, principal prêmio do festival

A edição número 69 do Festival de Cannes chegou ao fim nesse domingo, dia 22 de maio, revelando o vencedor da Palma de Ouro, maior prêmio do evento. O destaque ficou para o filme “I, Daniel Blake”, do diretor britânico Ken Loach, que já tinha recebido a Palma com o longa “Ventos da Liberdade”, em 2006.

Mais uma vez, Loach ressaltou a luta de um cidadão comum contra o sistema, contando a história de Daniel Blake, um marceneiro inglês que, aos 59 anos, sofre um ataque do coração no meio do trabalho e quase morre, ficando a mercê da burocracia para conseguir auxílio do governo pela primeira vez.
O longa desbancou o brasileiro “Aquarius”, do cineasta Kleber Mendonça Filho, que era um dos favoritos da crítica. Sonia Braga, que integrava o elenco, também não levou o prêmio de melhor atriz, que ficou para a filipina Jaclyn Jose, por “Ma’Rosa”.
Depois de ter seu filme vaiado na sessão do festival, Olivier Assayas foi eleito o melhor diretor pelo longa “Personal Shoppers”, estrelado pela atriz Kristen Stewart. Já o Grande Prêmio ficou para “Juste la Fin du Monde”, uma produção do Canadá e França com direção de Xavier Dolan.
Xavier Dolan vence Grande Prêmio (Imagem: thestar.com)

Xavier Dolan vence Grande Prêmio (Imagem: thestar.com)

No fim, outros brasileiros se saíram melhor entre as premiações. No sábado, dia 21, o documentário “Cinema Novo”, de Eryk Rocha, filho do emblemático cineasta Glauber Rocha, ganhou o “Olho de Ouro”. O filme aborda o movimento cinematográfico nascido no Brasil e que foi responsável por revolucionar a criação artística nas décadas de 1960 e 1970.
O curta-metragem “A Moça que dançou com o diabo” também não levou o prêmio principal, mas ganhou uma distinção do júri. O curta, baseado em uma lenda urbana da cidade de São Carlos, em São Paulo, foi dirigido por João Paulo Miranda Maria.

Confira a lista dos vencedores:

Palma de Ouro
I, Daniel Blake, de Ken Loach (Reino Unido, França)
Grande Prémio do Júri
It’s Only the End of the World, de Xavier Dolan (Canadá, França)
Melhor Realizador
Cristian Mungiu, por Graduation (Roménia, França, Bélgica)
Olivier Assayas, por Personal Shopper (França)
Melhor Atriz
Jaclyn Jose, em Ma’ Rosa (Filipinas)
Melhor Ator
Shahab Hosseini, em The Salesman (França, Irão)
Melhor Argumento
Asghar Farhadi, por The Salesman (França, Irão)
Prémio do Júri
American Honey, de Andrea Arnold (Reino Unido, EUA)
Camera d’Or (Melhor Primeiro Filme)
Divines, de Houda Benyamina (França)
Palma de Ouro (Curta-Metragem)
Timecode, de Juanjo Giménez (Espanha)
Menção Especial
A moça que dançou com o diabo, de João Paulo Miranda Maria (Brasil)
Palma de Ouro de Honra
Jean-Pierre Léaud

Prémio FIPRESCI

Selecção oficial
Toni Erdmann, de Maren Ade (Alemanha, Áustria)

Un Certain Regard
Dogs, de Bogdan Mirica (Roménia, França, Bulgária)

Semana da Crítica
Grave, de Julia Ducournau (França, Bélgica)

Prémio do Júri Ecuménico

It’s Only the End of the World, de Xavier Dolan (Canadá, França)

Menções Especiais
American Honey, de Andrea Arnold (Reino Unido)
I, Daniel Blake, de Ken Loach (Reino Unido, França)

Tags:
COMPARTILHAR