AGUARDE
17 abril 2018

WSL cancela etapa de Margaret River

Após dois ataques de tubarão, entidade decide cancelar evento para evitar novos incidentes

Após dois ataques de tubarão em Gracetown, na Austrália, a cerca de seis  quilômetros de Margaret River, a World Surf League anunciou na noite dessa terça-feira (quarta na Austrália) o cancelamento da terceira etapa do Tour. Uma reunião entre os funcionários da entidade e os surfistas decidiu interromper o evento e não colocar os competidores de volta na água. 

A CEO, Sophie Goldschmidt, emitiu uma carta à comunidade do surfe e o Woohoo traz alguns trechos importantes dessa mensagem:

"Hoje, a WSL tomou a difícil decisão de cancelar o restante do Margaret River Pro, devido às circunstâncias excepcionais que rodearam o evento dessa temporada com tubarões e a segurança dos surfistas. Essa decisão foi tomada após horas de consultas com todas as partes envolvidas e peritos neste assunto".

"Todos os associados ao nosso esporte sabem disso. Houve incidentes no passado – e é possível que haja incidentes no futuro – que não resultaram (e não resultarão) no cancelamento de um evento. No entanto, as circunstâncias atuais são muito incomuns e preocupantes, e decidimos que o risco elevado durante o Margaret River Pro desta temporada ultrapassou o limite do que é aceitável."

 

Se decidíssemos continuar o evento e algo terrível acontecesse, nunca nos perdoaríamos, confessou a CEO da WSL, Sophie Goldschmidt.

 

Nosso chefe de redação, Bruno Bocayuva, já havia adiantado no Woohoo News dessa terça-feira que a WSL estudava a possibilidade de cancelamento.  O pedido foi endossado pelos brasileiros Gabriel Medina, Italo Ferreira e Adriano de Souza. Eles postaram em suas redes sociais se manifestando contra a realização da prova em lugares de alto índice de tubarões. Os três afirmaram que não se sentem seguros treinando e competindo em locais assim.

 

Veja a nota completa emitida pela World Surf League:

“Hoje, a WSL tomou a difícil decisão de cancelar o restante do Margaret River Pro, em virtude de circunstâncias excepcionais em torno do evento nesta temporada com tubarões e a segurança de nossos surfistas. Esta decisão foi alcançada depois de muitas horas de consulta a uma variedade de partes interessadas e especialistas.

A WSL coloca a segurança como maior prêmio. Isso não pode ser apenas conversa e não pode ser comprometido. O surfe é um esporte que carrega várias formas de risco, e é único em que os animais selvagens habitam nosso ambiente de desempenho. Os tubarões são uma realidade ocasional das competições da WSL e do surfe em geral. Todos os associados ao nosso esporte sabem disso. Houve incidentes no passado – e é possível que haja incidentes no futuro – que não resultaram (e não resultarão) no cancelamento de um evento. No entanto, as circunstâncias atuais são muito incomuns e preocupantes, e decidimos que o risco elevado durante o Margaret River Pro desta temporada ultrapassou o limite do que é aceitável.

No dia 16 de abril (hora local), ocorreram dois ataques distintos de tubarões em Gracetown, a aproximadamente 6km do local principal do evento, Main Break. A presença de baleias encalhadas na área atraiu tubarões e contribuiu para a agressão de seu comportamento, o que, segundo especialistas, aumentou a possibilidade de novos ataques. Essas descobertas resultaram em locais próximos sendo fechados para surfe e natação.

Estamos comprometidos em estar o mais preparado possível para o que a natureza nos proporciona. A WSL mantém infraestruturas e protocolos de segurança, monitoramento e suporte fortes e em constante aprimoramento, e normalmente teríamos um alto grau de confiança em nossa capacidade de proteger nossos atletas. No entanto, o limite foi ultrapassado para a organização e, se decidíssemos continuar o evento nas circunstâncias atuais, e algo terrível acontecesse, nunca nos perdoaríamos.

Estamos dolorosamente conscientes de que esta decisão terá consequências comerciais para a comunidade local e desapontará alguns de nossos parceiros, fãs e atletas. Nós sinceramente lamentamos isso.

Nossa estrutura competitiva permite a distribuição de pontos em caso de cancelamento. No entanto, não estamos desistindo de completar a competição masculina e feminina neste ano, e vamos comunicar nossos pensamentos sobre isso quando soubermos mais.

Margaret River é um local especial, com parceiros incríveis. Produziu muitos momentos memoráveis ​​ao longo dos anos e, no momento, não temos planos de não voltar no futuro.

Agradecemos que nem todos concordem com esta decisão, mas esperamos que eles a respeitem. A segurança dos atletas será sempre a nossa prioridade absoluta e agradecemos à comunidade local, aos nossos parceiros e aos nossos surfistas por apoiarem a decisão.

Obrigado pela sua compreensão
Sophie Goldschmidt
CEO da WSL”

Foto de capa: WSL/Durbar

Tags:
COMPARTILHAR